fbpx

Case Kilimo: entenda como a parceria com a Qulture.Rocks contribuiu com a empresa

Isa Ares

A Kilimo é uma startup argentina que nasceu há seis anos com o propósito de promover o uso eficiente de água na produção de alimentos. Para atingir esse objetivo, desenvolveu um software que analisa fatores climáticos, dados agrícolas e imagens de satélites para gerar informações sobre quando e quanto regar os alimentos. Ademais, ela possui clientes em diversos países da América como: Chile, Uruguai, Paraguai, Peru e México.

Hoje, conta com uma equipe de 33 especialistas divididos em diversos times tanto na Argentina, como no Chile. A disseminação e manutenção da cultura na Kilimo é um tema muito importante para a organização. Por isso, conta com uma pessoa que é totalmente responsável por este tema dentro da empresa. 

Neste conteúdo, entenda como foi a parceria entre a Kilimo e a Qulture.Rocks!

Como foi a era pré Qulture.Rocks?

Antes de iniciar a parceria com a Qulture.Rocks, a Kilimo realizava o processo de feedback somente em períodos semestrais no momento da avaliação de desempenho dos colaboradores. Devido a esses longos períodos entre um feedback e outro, as vezes os colaboradores sentiam-se desorientados quanto ao que deveriam aprimorar e trabalhar para seu desenvolvimento no curto prazo. Para minimizar essa questão, a Kilimo mudou a periodicidade do feedback para trimestral, mas, mesmo com a modificação, ainda assim sentiam falta de um processo mais situacional e contínuo.

Outra questão, que também trazia insatisfação para a organização, era que o feedback ocorria somente no sentido líder → liderado(a). Isso gerou uma dinâmica de trabalho pouco construtiva pois trocas em outras direções – liderado(a) → líder, par → par ou liderado → líder indireto – não eram uma prática comum. De certa forma, esse cenário trazia alguns pontos de alerta para a organização: sensação de que os colaboradores e colaboradoras podiam ajudar no desenvolvimento de seus colegas de trabalho, baixo protagonismo no crescimento pessoal, lentidão na evolução como profissional entre outros.

Ademais, a realização do feedback ocorria em reuniões presenciais nas quais o líder falava para o liderado ou liderada sobre seus pontos fortes e de melhoria, mas sem realizar registros sobre o que era discutido. Com o passar do tempo, percebeu-se que essa falta de documentação poderia trazer alguns problemas para a organização como: baixo alinhamento entre o líder e liderado ou esquecimento sobre quais são os pontos de desenvolvimento que devem ser trabalhados. Diante disso, a Kilimo optou por documentar as informações através do google forms, mas essa mudança não trouxe grandes efeitos positivos.

Como foi a era pós-Qulture.Rocks?

A Kilimo buscava uma plataforma que unificasse toda a administração de recursos humanos da empresa. Diante disso, a Qulture.Rocks caiu como uma luva, pois conta com vários produtos que trouxeram maior organização para a companhia. Assim concentrava, em uma só plataforma, todas as funcionalidades necessárias para fazer a gestão de seus colaboradores e colaboradoras.

Nesse novo cenário, através do Produto de Feedback, a Kilimo passou a trabalhar aspectos como: sinceridade e responsabilidade compartilhada, fazendo com que todos na organização participassem do desenvolvimento de seus colegas de trabalho. Com isso, iniciou a implementação de um processo de feedback 360 no qual tornou-se possível enviar e receber feedbacks de diferentes pessoas da organização além da liderança direta. Aos poucos a Kilimo presenciou uma grande mudança na forma como seus colaboradores e colaboradoras se relacionavam.

Outra prática que também tornou-se possível foi a troca situacional e contínua de feedbacks. Ela levou a um processo de desenvolvimento dos times muito mais rápido que ajudou a reforçar o desejo da Kilimo de ser uma empresa ágil, que evolui com uma velocidade acima do mercado e em que os colaboradores possuem responsabilidade no desenvolvimento de todos.

Quais benefícios o produto de feedback trouxe para a Kilimo?

Foram quatro os principais pontos positivos:

  1. Maior sinceridade e responsabilidade compartilhada no desenvolvimento dos líderes, colaboradores e colaboradoras;
  2. Mais clareza sobre quais são os pontos de aprimoramento profissional e pessoal;
  3. Participação ativa de todos os colaboradores e colaboradoras no desenvolvimento dos colegas de trabalho;
  4. Praticidade no envio de um feedback. Isso ocorreu muito por conta da opção dos formatos padrão já pré-cadastrados na plataforma, como o modelo parar-começar-continuar. Esses modelos ajudam a Kilimo a: 
    1. Fomenta o feedback entre pessoas que possuem pouco contato diário;
    2. Identificar exatamente quais são os pontos que deveriam ser ditos para ajudar um colaborador ou colaboradora a se desenvolver.

Quais foram os ganhos para a Kilimo?

A plataforma da Qulture.Rocks ajudou os colaboradores e colaboradoras da Kilimo a criarem o hábito de, ao terminarem uma reunião, projeto ou apresentação solicitarem um feedback sobre o tema. Essa mudança de hábito fez com que os pedidos de feedbacks na plataforma crescessem 4 vezes entre outubro de 2020 e janeiro de 2021.

Ademais, também foi possível notar que os colaboradores e colaboradoras passaram a enviar feedbacks espontâneos 5 vezes mais entre outubro de 2020 e janeiro de 2021. Isso gerou um impacto positivo na cultura da organização, pois potencializou comportamentos essenciais para a empresa como: responsabilidade, sinceridade, sentimento de participação no desenvolvimento dos colegas de trabalho e maior proximidade com o líder.

Logo, é possível concluir, que o Produto de Feedbacks na Kilimo foi uma peça chave para auxiliar a empresa a desenvolver seus colaboradores e colaboradoras com a mesma agilidade com que o negócio evolui. Também vale ressaltar que essa mudança cultural, quanto a prática de feedbacks, auxiliou a organização a reforçar seus valores – critério, autonomia, curiosidade, efetividade, fazer parte, simplicidade, comunicação e inovação – para todos trazendo maior clareza sobre quais atitudes e comportamentos são esperados no dia a dia de trabalho.

Feedback em Números

Agora que você já conhece a história da Kilimo com o nosso produto de feedbacks, gostaríamos de contar 4 motivos pelos quais você deve adotar essa prática na sua organização:

  1. Somente 58% dos líderes acham que dão feedback suficiente – Lago, 2018
  2. 72% dos funcionários gostariam de receber feedbacks diários ou semanais – PUC 2011
  3. Empresas em que líderes não dão e nem pedem feedback possuem engajamento médio em torno de 29% – Workplace Feedback: Tis Better to Receive Than to Give – Forbes
  4. Empresas em que o oposto é verdade – líderes pedem e dão feedback – o engajamento médio salta para 74% – Workplace Feedback: Tis Better to Receive Than to Give – Forbes

E aí, pronto para começar essa prática na sua empresa?