fbpx

Dia Nacional do Livro: confira indicações de leituras de Q.Players

Renan Araújo

dia-nacional-do-livro

Dia 29 de outubro, a mesma data em que foi fundada a Biblioteca Nacional no ano de 1810, comemoramos no Brasil o Dia Nacional do Livro. Os primeiros acervos da biblioteca foram disponibilizados pela família Real Portuguesa, que ofertou mais de 70 mil objetos. Além das obras, havia manuscritos, mapas, moedas, medalhas etc. Entre as peças, a primeira edição da obra “Os Lusíadas”, de Luís Vaz de Camões, estava presente. 

Em comemoração à data, solicitamos aos nossos Q-Players para fazerem indicações de leituras relacionadas ao mundo da gestão de desempenho, liderança, entre outros temas que amamos! Confira!

Os 5 desafios das equipes — Patrick Lencioni 

Indicação de Ernesto Goulart — Time de People

No livro “Os 5 desafios das equipes”, o autor Patrick Lencioni divide a obra em duas partes: a fábula sobre uma gestora que está à frente de um grupo de executivos desunidos e a parte técnica-teórica, com ensinamentos sobre os porquês de algumas equipes darem certo e outras não. 

Os 5 desafios que dão o título ao livro são: 

  • falta de confiança; 
  • medo de conflitos;
  • falta de comprometimento; 
  • evitar responsabilizar os outros;
  • falta de atenção aos resultados. 

Contágio: por que as coisas pegam — Jonah Berger

Indicação de Brenda Santana — Time de SDR

No livro, o autor traz uma interessante discussão sobre os motivos que levam alguns produtos darem muito certo enquanto outros são deixados de lado. Além disso, ele levanta o questionamento do por que alguns boatos se espalham com tanta facilidade e o que há por trás da transmissão social e da viralização. 

Para o autor, há 6 fatores que contribuem para a disseminação de uma notícia, ideia ou história: moeda social, gatilho, emoções, público, valor prático e histórias. Um interessante material para quem deseja entender um pouco mais sobre a influência social e como isso afeta em nossa rotina, desde as nossas escolhas até aos nossos comportamentos. 

Líderes de verdade não usam PowerPoint — Christopher Witt

Indicação de Vitor Carpinetti — Time de Vendas

Imagine duas situações distintas: o diretor executivo de uma empresa, com pouco tempo hábil para apresentar algumas das mudanças que ocorreram no negócio, decide colocar as informações dos relatórios em um PowerPoint. Ao longo de todo o seu discurso, ele apenas lê o que está na tela sem explicar a ideia por trás das decisões. 

Em outra situação, um diretor tem a mesma função de apresentar essas decisões, mas utiliza de uma estratégia distinta. Sem nenhuma tela, ele apresenta as motivações por trás das decisões tomadas, conta histórias bem-humoradas ao longo do discurso, e, apesar de trazer dados técnicos, utiliza de uma linguagem que é facilmente assimilada pela plateia.

No livro, o autor compartilha dicas e sugestões para que as pessoas sigam o exemplo da segunda situação, de modo que as lideranças acreditem no conteúdo da mensagem e sejam respeitosas com a plateia. 

Think Again: The Power of Knowing What You Don’t Know —  Adam Grant

Indicação de Vitor Squécola — Time de People

No livro Think Again, o autor examina a arte crítica de repensar, aprender a questionar as próprias opiniões e abrir a mente de outras pessoas, o que pode contribuir para posicionar o indivíduo na excelência do trabalho e também na sabedoria para a vida. 

“A inteligência geralmente é vista como a capacidade de pensar e aprender, mas em um mundo em rápida mudança, há outro conjunto de habilidades cognitivas que podem ser mais importantes: a capacidade de repensar e desaprender.” 

Para isso, é preciso sair da zona de conforto. Adam Grant é um conceituado professor da Wharton, autor de best-sellers e reconhecido como um dos 25 mais influentes pensadores de gestão do mundo com menos de 40 anos. 

Faça do coaching um hábito —  Michael Bungay Stanier

Indicação de Fred Castro — CTO

No livro “Faça do coaching um hábito”, o autor Michael Bungay Stanier ensina princípios do coaching e mostra como é possível aplicá-los aos negócios a partir de algumas perguntas fundamentais.

Michael é palestrante e especialista em treinamento de coaching. Na obra, ele aborda sobre a importância do processo de mudança: “a essência do coaching está em ajudar outra pessoa e desbloquear o potencial dela”. E completa: “a mudança de comportamento é a seguinte: fazer um pouco mais de perguntas às pessoas e lhes dizer um pouco menos o que fazer”.

“Faça do coaching um hábito” é estruturado a partir de sete perguntas, que ajudam a derrubar ciclos viciosos aos quais somos condicionados normalmente, como criar dependência excessiva, ficar sobrecarregado e distanciar-se. 

Powerful: Como construir uma cultura corporativa de liberdade e responsabilidade —  Patty McCord

Indicação de Renata Santos — Time de Vendas

Se a sua empresa realiza avaliações anuais de desempenho, planos de retenção e programas de engajamento, Patty McCord desmistifica ao explicar que todas essas ações não são as mais indicadas. 

McCord é uma das criadoras de uma das culturas mais bem-sucedidas no mundo e que gera inspiração para várias outras empresas: a da Netflix. De acordo com a autora, as ideias da cultura corporativa tradicional já não fazem mais sentido no mundo de hoje. O seu objetivo com a obra é instigar lideranças a buscar um novo jeito de lidar com as suas equipes. 

Além disso, ela propõe a prática da honestidade radical no ambiente de trabalho e motiva equipes por meio de trabalhos desafiadores em vez de privilégios e de bônus. Se você deseja inspiração para trazer inovação ao seu negócio, essa é uma leitura quase obrigatória!

Gestão do processo sucessório – Preservando o negócio e a estratégia — Joel Dutra 

Indicação de Francisco H. de Mello — CEO

Este livro serviu de inspiração para o novo produto da Qulture.Rocks: o de sucessão. Joel Dutra, que também tem uma coluna em nosso blog, discute sobre a importância do processo sucessório estruturado nas organizações. 

Durante toda a leitura, você vai entender sobre a complexidade do assunto, que envolve expectativa das pessoas em relação ao desenvolvimento e à carreira e da necessidade das empresas de serem transparentes com o processo ao mesmo tempo que é preciso ter cuidado para não gerar falsas esperanças e ressentimentos. 

Trata-se do resultado de pesquisas realizadas nos últimos 18 anos em empresas de capital nacional e internacional. Ao longo do material, o autor mescla conceitos avançados de gestão do processo sucessório com os resultados das experiências analisadas. 

As cartas de Bezos – 14 princípios para crescer como a Amazon — Steve Anderson, Karen Anderson

Indicação de Giulia Andreotti — Time de CS

A Amazon foi a empresa que mais rapidamente atingiu a marca de 100 bilhões de dólares em vendas. Porém, obviamente ela não atingiu esse êxito se mantendo na zona de conforto. A cultura do negócio —  voltada para a obsessão pelos clientes e o espírito inovador, além de permitir correr riscos e pensar a longo prazo — foi uma importante chave para esse crescimento. 

Em suas cartas destinadas aos acionistas ao longo de mais de 20 anos, Jeff Bezzos, fundador da Amazon, conta como transformou a sua empresa em um dos maiores casos de sucesso de todos os tempos. A partir dessas cartas, o autor Steve Anderson identificou 14 princípios de crescimento do negócio e apresenta, no livro, algumas dessas lições!

A organização sem medo: Criando segurança psicológica no local de trabalho para aprendizado, inovação e crescimento — Amy Edmondson 

Indicação de Liliane Takemoto — Time de CS

O livro “A organização sem medo” foi escrito principalmente para líderes e equipes. Trata-se de um guia prático para a criação de culturas em que as pessoas se sintam seguras para compartilharem ideias, experiências e se sentirem parte do time. 

Elaborado com base em seus 20 anos de pesquisa, a autora contribui para que as organizações possam abordar o lado humano dos colaboradores e criar locais de trabalho que de fato sejam seguros, sem medo de empoderar as pessoas a vencer com ideias irrestritas.

A partir dessa leitura, líderes terão a confiança que precisam para libertarem talentos individuais e coletivos, o que reflete diretamente nos bons resultados do negócio. 

Comece pelo porquê: Como grandes líderes inspiram pessoas e equipes a agir — Simon Sinek 

Indicação de Júlia Chizzola — Time de CS

Você já se perguntou por que algumas organizações são mais admiradas, inovadoras e lucrativas do que outras? Ou por que algumas delas conseguem despertar a admiração e a lealdade do público e dos profissionais? 

No livro “Comece pelo porquê”, Simon Sinek afirma que a resposta está no senso de propósito que as inspira a darem o melhor de si para uma causa: o porquê. 

“Ilustrando suas ideias com as fascinantes histórias de Martin Luther King, Steve Jobs e os irmãos Wright, Simon mostra que as pessoas só irão se dedicar de corpo e alma a um movimento, ideia, produto ou serviço se compreenderem o verdadeiro propósito por trás deles.”

E então, o que achou das dicas dos nossos Q.Players para o Dia Nacional do Livro? Compartilhe em suas redes sociais!