fbpx

Conheça 6 técnicas de marketing que podem ser adotadas no RH

Renan Araújo

tecnicas-de-marketing

Em uma empresa, diferentes áreas podem contribuir para o sucesso umas das outras. Muitas vezes, táticas e estratégias de um departamento têm a oportunidade de serem adaptadas para que demais setores alcancem seus objetivos, independentemente de quais sejam eles. O que pouca gente sabe, por exemplo, é que técnicas de marketing são facilmente adaptadas para a realidade dos Recursos Humanos, possibilitando maior atração de potenciais candidatos e mais satisfação de colaboradores.

Pensando nisso, elaboramos este material para que você conheça a importância de adotar estratégias de marketing no RH e quais são as ações que podem ser adaptadas. Continue a leitura e saiba mais!

Qual a importância de adotar técnicas de marketing no RH?

Primeiro, vamos entender sobre a importância de adotar técnicas de marketing no RH. Confira alguns diferenciais!

Atração de candidatos qualificados

Com o objetivo de a empresa conquistar diferencial competitivo e alcançar as metas pré-estabelecidas, é preciso se preocupar com a atração de candidatos qualificados, que tenham fit cultural com a organização e as competências técnicas necessárias.

No marketing, essa preocupação é para a atração de clientes que tenham perfil com o negócio. Nesse sentido, realizam segmentações para atingir exatamente aquelas pessoas que tenham mais possibilidades de fechar um contrato — técnicas que podem ser adaptadas para atrair pessoas qualificadas interessadas nas vagas do time.

Uso de indicadores no processo

Seja qual for a ação adotada pelo time de marketing, um aprendizado que deve ser atribuído ao RH está no uso de indicadores para medir o sucesso das estratégias. Quando o RH pensa em uma ação que impacta a empresa como um todo, os efeitos serão sentidos nas taxas de turnover mais baixas, absenteísmo reduzido, além de um clima organizacional mais positivo — e esses são apenas alguns exemplos.

Entender os principais índices e como eles flutuam ao longo do ano — principalmente atribuindo um olhar estratégico para o momento da empresa e as ações adotadas — contribuirá para uma maior satisfação das pessoas da empresa e para a redução de custos do negócio.

Mais economia

Por falar em redução de custos, esse é um diferencial que deve ser destacado. Buscar por estratégias que diminuam os gastos do negócio sem que isso afete a produtividade da equipe e a qualidade dos produtos e serviços oferecidos é um desafio para a empresa.

Porém, a partir do momento em que há índices de turnover mais baixos, não vai haver deslocamento de recursos para a contratação e desligamento de pessoas — que gera custos relacionados a treinamentos das novas pessoas do time, a questões burocráticas e trabalhistas envolvidas no processo etc.

Quais técnicas de marketing podem ser aplicadas no RH?

Agora que você já sabe sobre a importância de utilizar técnicas de marketing no RH, chegou o momento de apresentarmos quais delas podem ser aplicadas pela equipe. Confira!

1. Criação de leads qualificados

Na área de marketing, com o objetivo de aperfeiçoar o processo de vendas e aumentar a quantidade de contratos fechados, existe a qualificação de leads. Lead nada mais é do que um potencial cliente que chega até a base da empresa.

Se uma pessoa se interessa por um e-book, por exemplo, automaticamente ela se torna um lead. Porém, não necessariamente ela está preparada para seguir com o processo de vendas — o que torna necessário a qualificação dessa pessoa até que haja maturidade para dar esse prosseguimento.

Além disso, deve-se destacar que nem todo lead é a pessoa ideal para a sua empresa. Entenda: uma empresa de software de RH traz diferentes materiais sobre gestão de desempenho. Grande parte das pessoas que fecham contrato com essa empresa pertence a organizações que tenham acima de 100 profissionais.

Porém, se interessam pelos materiais oferecidos por essa organização pessoas que tenham afinidade com o assunto, inclusive estudantes da área. É papel do marketing, então, filtrar os leads e qualificar aqueles que estejam de acordo com o interesse do negócio.

No RH, esse estudo também pode ser aplicado nos processos seletivos. Nem sempre uma pessoa que se candidatou a uma vaga tem fit com o seu negócio ou real interesse em dar prosseguimento com o processo — quando há a qualificação desses “leads”, consequentemente vai otimizar o trabalho dos profissionais de recrutamento e seleção, tornando o processo mais ágil.

Nesse sentido, o RH deve:

  • Traçar o perfil de quem são os candidatos ideais para a empresa e para as vagas das diferentes áreas do negócio.
  • Definir quais são as métricas que devem ser analisadas para avaliar o sucesso do processo de recrutamento e seleção.
  • Entender quem é a sua audiência e qual é a jornada que o candidato percorre durante o processo.

2. Construção da persona

No marketing, a persona é a representação semi-fictícia do cliente ideal. Qual é a diferença entre persona e público-alvo? Enquanto o público-alvo é mais abrangente, a persona é mais específica. Confira um exemplo dos dois para que essa compreensão esteja clara:

  • Público-alvo — estudantes de Psicologia ou Recursos Humanos que tenham interesse em estagiar em uma startup na área de recrutamento e seleção.
  • Persona — Clara, 21 anos. Estudante do sétimo período de Psicologia da USP. Curiosa, é interessada em aprender continuamente sobre assuntos que vão além da sua área de atuação. Busca por um estágio em startup, por acreditar que essas empresas contribuem para que ela possa se deslocar em diferentes áreas de acordo com as necessidades do negócio. Usa bastante celular e redes sociais como Instagram – e se informa sobre vagas no LinkedIn.

Percebeu como a definição de persona poderá auxiliar a área de RH sobre os canais de divulgação das vagas e também sobre as estratégias que melhor atraem os candidatos ideais? Para isso, é importante que a empresa analise a sua base de candidatos, entenda quais são as características importantes da vaga e, inclusive, entreviste os atuais colaboradores para analisar quais são as características mais marcantes dos profissionais do negócio.

3. Tom de voz da marca

Independentemente de qual seja a estratégia de marketing adotada pelo time, essa equipe vai utilizar o tom de voz alinhado aos objetivos do negócio e às características da persona. Essa preocupação também deve ser do time de RH para se comunicar com seu “público” externo e interno. Em um processo seletivo para a contratação de estagiários, por exemplo, o tom de voz é diferente do que para a contratação de um head de área.

Da mesma forma, a maneira como o time e as lideranças se comunicam com os profissionais da empresa devem ter propostas diferentes. Em uma one-on-one com um colaborador júnior, o foco será muito mais na sua rotina e planos de ação para as suas demandas, enquanto para um colaborador sênior, o foco será voltado para a sua carreira e oportunidades da área.

4. Alinhamento da estratégia do RH com a estratégia do negócio

Frequentemente, mencionamos no blog que a atuação do RH tem passado por algumas modificações ao longo dos anos. Antes, as demandas eram muito mais burocráticas. Porém, foram substituídas por soluções que automatizaram essas atividades, contribuindo para que o setor se tornasse mais estratégico.

Porém, como promover o alinhamento da estratégia do RH com a estratégia do negócio? Essa é uma atenção que não deve ser exclusiva dos times de marketing e RH, como de toda a empresa. Com o objetivo de alcançar esse patamar, sugerimos o uso de OKRs — sistema de metas coletivas e individuais que convergem para as metas globais da organização.

Além de contribuir para esse alinhamento, possibilitará maior transparência entre os times, bem como vai haver um melhor entendimento sobre como as metas estão interligadas entre as áreas.

5. Nutrição de candidatos

Conforme mencionamos, no marketing, um lead nem sempre está pronto para prosseguir no funil de vendas. Muitas vezes, é preciso que ele seja nutrido para entender sobre qual é o seu problema e como o negócio poderá contribuir nesse sentido. Por essa razão, ele é classificado de acordo com o interesse nos materiais disponibilizados pela empresa, entre atração, consideração e decisão.

No RH, essa técnica também pode ser aplicada para o processo seletivo. Entenda a linha de raciocínio: recentemente, você precisou contratar três profissionais para a equipe de vendas. O processo foi demorado, uma vez que as exigências da empresa fez com o filtro de candidatos fosse mais apurado, chegando às 10 pessoas mais qualificadas.

Futuramente, se precisar contratar novamente profissionais para a área de vendas, ter que passar por todo esse processo novamente seria desgastante para os dois times. Por essa razão, o ideal é realizar a nutrição das 7 pessoas que também tinham perfil mas não foram selecionadas, enviando para elas frequentemente materiais que possam agregar para o seu trabalho.

Quando o negócio abrir novamente essas vagas, esses profissionais ainda estarão no pipe, contribuindo para que haja mais facilidade de contratação.

6. Teste A/B

O teste A/B é uma das estratégias mais utilizadas na área de marketing. Trata-se de testes em que o time faz comparações entre duas variáveis, contribuindo para que a equipe encontre a solução mais adequada para as suas necessidades.

O grande diferencial desse conceito é que ele pode ser aplicado em diferentes áreas, independentemente de qual seja o objetivo pré-estabelecido. Em um processo seletivo, por exemplo, o RH pode testar diferentes tipos de títulos, formatos de divulgação de vagas, entre outras ações. Em seguida, analisa quais das alternativas mais trouxe resultados, tornando ela a definitiva — além de analisar frequentemente seus números para possíveis adaptações.

Neste conteúdo, você pôde entender algumas técnicas de marketing que podem ser adotadas no RH, além de dicas para praticá-las no dia a dia de sua equipe. Conforme vimos, além de contribuir para uma maior satisfação de sua equipe, possibilitará redução de gastos, justamente pelo turnover estar reduzido e as pessoas mais satisfeitas com o ambiente de trabalho.

Por falar nisso, se você deseja saber um pouco mais sobre a relação entre ambiente de trabalho e produtividade, continue no blog e acompanhe nosso outro material!