fbpx

Tendências de RH para 2022: conheça algumas das principais!

Renan Araújo

Tendências de RH para 2022

Quem pensava que em 2021 já estaríamos todos presentes nos escritórios e adaptados às mudanças que a crise sanitária trouxe, certamente precisou rever seus planejamentos. Somente a partir do final do terceiro trimestre e início do quarto é que houve possibilidade de pensar em ações nesse sentido, uma vez que houve o avanço da vacinação em todo o território nacional.

Certamente, esses quase dois anos de trabalho remoto impactou a rotina das empresas, além de ter contribuído para algumas das principais tendências de RH para 2022. Pensando nisso, elaboramos este material para trazer algumas das principais, além de ressaltar como isso vai impactar as empresas nos próximos anos. Continue a leitura e saiba mais!

Contextualização

Não traremos neste artigo que a transformação digital é uma tendência para 2022. A digitalização de RH é uma necessidade que as empresas precisam se adaptar, independentemente do ano. Dessa forma, além de garantir mais produtividade de seus profissionais, contribuirá para processos mais alinhados, padronizados, bem como traz a oportunidade de tomar decisões baseadas em dados em vez de achismos.

Outras tendências que já aconteciam e que também devem se consolidar devido ao contexto de pandemia são a flexibilidade no horário de trabalho e também a necessidade de traçar ações mais efetivas no que diz respeito à gestão de talentos.

Lembre-se: caso não haja uma gestão de qualidade que se preocupe com a retenção das pessoas, além de impedir que a empresa possa se consolidar no mercado de maneira mais rápida, vai trazer gastos que poderiam ser evitados. Desligamentos e contratações geram custos, sejam relacionados aos aspectos burocráticos da pessoa que saiu, sejam relacionados ao tempo dedicado para o treinamento do novo profissional.

Tendências de RH para 2022

A seguir, trouxemos algumas das tendências previstas para o RH em 2022. Veja!

People Analytics

People Analytics não se trata de algo novo. De acordo com a Harvard Business Review, aproximadamente 70% das empresas consideram a estratégia como uma das prioridades da agenda. Porém, mesmo com essa importância, um relatório de tendências elaborado pela  Great Pleace To Work afirmou que a disciplina aparece como um dos principais desafios no que diz respeito à gestão de pessoas.

A definição de People Analytics é simples: utilizar dados de colaboradores e colaboradoras para tomar decisões relacionadas a pessoas e ao negócio. Conforme abordamos, cada vez mais há a necessidade de utilizar mais ciência e menos achismos.

Entre os desafios do negócio que podem ser solucionados com o People Analytics, destacamos:

  • redução de custos — em uma empresa com índice de turnover elevado, por exemplo, entender os motivos que levam a essa consequência e traçar um plano de ação para modificá-la contribui para reduzir os gastos relacionados à baixa retenção;
  • retenção de talentos — a partir do uso de pesquisas, há a oportunidade de identificar quais são os pontos de melhoria na empresa por meio da percepção dos próprios colaboradores e colaboradoras em relação às políticas, práticas e processos do negócio;
  • contratações mais alinhadas — entender o perfil certo de seus colaboradores e colaboradoras garantirá que haja contratações de pessoas que tenham fit cultural com a empresa: ou seja, se adéquam aos princípios e valores do negócio.

Maior evolução para os processos seletivos

No que se refere aos processos seletivos, também temos algumas tendências que merecem atenção. Primeiro, o fato de que as etapas serão 100% virtuais em grande parte das empresas, algo que já acontece desde o início de 2020 devido ao contexto pandêmico — isso tende a permanecer.

Além disso, há a preocupação cada vez maior com a experiência do candidato durante as diferentes etapas do processo. Segundo a Workable Resources, pessoas que participam de um recrutamento com uma boa experiência tornam-se promotoras da marca automaticamente. No futuro, tendem a virar consumidores dos produtos e serviços.

Quanto à tecnologia, recursos como big data e machine learning se destacam. Com um grande volume de dados para conseguir diagnósticos das mais diversas vertentes, há a oportunidade de aprender com a realidade de seu negócio e com as preferências dos candidatos.

Por fim, o Social Hiring tem crescido nas organizações. Normalmente, as empresas utilizavam as redes sociais como forma de atração de clientes. Agora, têm também se apoiado em diferentes canais e plataformas para a atração de candidatos, o que contribui para o fortalecimento da marca e para a imagem positiva da empresa perante o mercado.

Lifelong Learning

De forma literal, lifelong learning significa “aprendizado ao longo da vida”. Trata-se de uma estratégia que preconiza a educação continuada — ou seja, defende a ideia de que os estudos devem ser constantes, e não apenas em um período específico da vida.

Entre os diferenciais da prática, destacamos o desenvolvimento de novas habilidades das pessoas de um negócio. Nesse sentido, há a oportunidade de proporcionar resultados expressivos nas mais diversas frentes de trabalho, principalmente as relacionadas ao trabalho da empresa.

Além disso, é um estímulo à criatividade e à inovação da empresa. De acordo com a pesquisa Pew Research Center, 73% dos americanos já se consideram lifelong learners (as pessoas adeptas à prática). Desse total, 87% afirmam que aderiram ao conceito para manter ou para melhorar as habilidades de trabalho.

Por essa razão, é papel das empresas estimularem práticas de crescimento e desenvolvimento relacionadas ao treinamento das pessoas do negócio, de acordo com as necessidades e com a realidade da organização.

Uso de Inteligência Artificial

Outra tendência prevista para o próximo ano e que deve permanecer para os próximos períodos é o uso da Inteligência Artificial para diferentes processos do negócio, tanto relacionados a treinamentos do time quanto voltados para análise dos principais indicadores para Recursos Humanos.

Segundo a pesquisa  The Current and Future State of AI in HR, 75% de profissionais de RH em diferentes países acreditam que a Inteligência Artificial se trata da tecnologia mais decisiva para os próximos anos. Além disso, para 30% das pessoas entrevistadas, a tecnologia já faz parte do cotidiano da empresa.

Ferramentas de reconhecimento

Sabemos sobre a importância do reconhecimento para as empresas. De acordo com um levantamento realizado pela McKinsey, elogios e exaltações vindos dos gerentes foi eleito como o maior motivador não financeiro para trazer melhorias de performance aos profissionais, apontado por 67% das pessoas.

Dessa forma, tem se destacado o uso de soluções que contribuem para que haja mais incentivo para que as pessoas elogiem uns aos outros e reconheçam o bom trabalho executado pelos colegas de time.

Como consequência, podemos destacar a maior motivação de todo o time no que se refere aos processos e demandas, além de garantir mais inovação para a empresa. Quanto mais oportunidades de reconhecimento, maiores serão as possibilidades de as pessoas buscarem melhorias de processos e soluções que tragam resultados mais efetivos para a organização.

Neste conteúdo, você pôde conhecer algumas das principais tendências de RH para 2022. Independentemente de quais sejam as que você deseja implementar no negócio, existe a necessidade de contar com um bom planejamento, além de conhecer no mercado soluções que possam facilitar a aplicação de determinadas culturas — a de elogios, por exemplo.

Se você deseja conhecer um pouco mais sobre a importância do elogio profissional para o negócio e como isso impacta a empresa, continue no blog e confira um outro conteúdo que preparamos sobre o tema!