fbpx

Lideranças de grandes empresas no país que inspiram: conheça 4 delas!

Renan Araújo

clientes_qulture

Em 8 de março, é comemorado mundialmente o Dia Internacional da Mulher. Pensando nisso, a Qulture elaborou uma série de conteúdos que homenageiam líderes que se destacaram e se destacam no mercado, ressaltando sobre as suas trajetórias e conquistas. Neste material, conheça um pouco mais sobre lideranças inspiradoras de grandes empresas no Brasil.

1. Mônica Santos —  Loggi

Mônica Duarte Santos é formada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC e em RH pela Fundação Instituto de Administração (FIA), assumiu a liderança da área de pessoas da Loggi no Brasil em março de 2020.

Entre os seus principais desafios no cargo de Chief People Officer, o gerenciamento de mais de 1000 funcionários pode ser considerado como um dos principais. Além disso, Mônica atua no acompanhamento do desenvolvimento de talentos da empresa, bem como oferece suporte para a expansão da organização.

Em seu currículo, Mônica já passou por instituições como o Banco Pactual e a Nokia. Além disso, foi integrante por mais de 11 anos do Google, onde liderou a área de pessoas na América Latina por cerca de 9 anos.

2. Cristina Junqueira —  Nubank

Considerada uma das fintechs de maior sucesso e crescimento do Brasil, a Nubank tem como vice-presidente Cristina Junqueira — além de ser uma das três fundadoras da startup. 

Em maio de 2013, na cidade de São Paulo, a empresa começou com apenas 3 sócios. Hoje, conta com uma equipe de mais de 1000 funcionários e com grande potencial de crescimento e desenvolvimento.

Cristina Junqueira nasceu na cidade de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Porém, ainda bebê, foi para o Rio de Janeiro, onde estudou no colégio jesuíta Santo Inácio, em Botafogo. Assim que se formou no Ensino Médio, se mudou para a cidade de São Paulo, onde cursou Engenharia de Produção na USP.

No ano de 2007, foi selecionada pela Kellogg School of Management, uma das principais escolas de Administração dos Estados Unidos. Nela, fez MBA em Negócios, curso que durou um ano. Já de volta ao Brasil, foi entrevistada pelo presidente do Unibanco para fazer parte do grupo — o objetivo do empresário era selecionar brasileiros recém-saídos de MBAs.

Nessa oportunidade, resolveu trabalhar em uma área de pouca visibilidade e com resultados insatisfatórios. Apenas aos 24 anos, liderava essa equipe formada apenas por pessoas mais velhas do que ela.

Na Nubank, se consolidou como uma das principais lideranças femininas no Brasil, em um mercado formado majoritariamente por homens. Em seu perfil no LinkedIn, a empresária compartilha algumas de suas experiências, além de textos que inspiram outras mulheres a seguirem em cargos de liderança e em diferentes mercados.

3. Mariana Dias —  Gupy

Mariana Dias fundou uma das startups de recrutamento e seleção mais promissoras do país após passar pela área de pessoas da Ambev. Formada em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo, decidiu fundar sua própria empresa após ser convidada para virar sócia da Ambev. Seu objetivo principal era o de dar “match” entre candidatos e empresas, facilitando o processo de seleção de novos profissionais.

Por meio da Inteligência Artificial, a plataforma realiza análise de dados orientada a pessoas, sendo uma das HR Techs mais jovens do mercado. Hoje, já atende clientes importantes, como Renner, Gol, Reserva, entre outros cases.

De trainee a CEO, Mariana criou uma startup que trouxe ao mercado uma nova forma de encontrar os melhores talentos para cada vaga, considerando sempre as particularidades da empresa e o perfil ideal das pessoas que se candidatava.

4. Maria Teresa Fornea Caron —  Creditas

A primeira experiência de Maria Teresa Fornea Caron foi como estagiária, no Citibank. Com dedicação, foi contratada a assistente, onde ficou por quase 4 anos. Logo em seguida, no Banco Bari, começou a trabalhar na criação da Companhia Hipotecária, oportunidade que permitiu outros aprendizados em sua carreira, como o mercado imobiliário e as estratégias para montar um novo negócio.

Em um mercado predominantemente masculino, Maria Teresa acredita que as boas lideranças são aquelas que promovem espaços de troca. Uma de suas inspirações, inclusive, é a Cristina Junqueira, outra líder mencionada neste material.

E então, o que achou de conhecer um pouco mais sobre essas histórias inspiradoras? Continue no acompanhando ao longo da semana que traremos outras trajetórias!