fbpx

Employer branding: o que é, vantagens de se investir e empresas que se destacam

Renan Araújo

employer_branding

Taxa de turnover elevada é um problema para qualquer organização. Além dos gastos ocasionados pela demissão e contratação de colaboradores, há ainda a necessidade de a equipe destinar parte de seu tempo para o treinamento dos profissionais que chegam até a empresa. O clima organizacional também pode ser prejudicado. Afinal, trata-se da percepção que as pessoas têm em relação a processos, políticas e práticas da empresa. Ou seja, com a retenção em baixa, existe algum gargalo que precisa ser solucionado.

Nesse sentido, é essencial ter atenção quanto ao employer branding. Em tradução livre, significa marca do empregador. Neste conteúdo, explicaremos um pouco mais sobre o que é esse conceito, práticas para implementar em seu negócio, além de empresas que se destacam nesse sentido. Continue a leitura e saiba mais!

Índices de turnover no Brasil: como é a realidade hoje?

Antes de explicarmos um pouco mais sobre o conceito de employer branding, vamos discutir sobre os índices de turnover no Brasil. De acordo com dados da FECOMERCIOSP, os maiores indicadores de rotatividade são nos seguintes setores:

  • comércio — 6,17%;
  • agropecuária — 5,34%;
  • construção civil — 4,94%;
  • serviços — 3,53%.

Quando comparamos cada uma das regiões do país, também observamos algumas variações:

  • centro-oeste — 4,32%;
  • sul — 4,19%;
  • norte — 3,70%;
  • sudeste — 3,65%;
  • nordeste — 3,56%.

Ao analisarmos as taxas de turnover e as estratégias necessárias para que esse indicador não seja uma preocupação para as empresas, devemos considerar que a força de trabalho passou por alterações ao longo dos anos. Até 2025, por exemplo, os Millenials — nascidos entre 1998 e 2000 — vão representar cerca de 75%. Dessa forma, existe a necessidade de entender como essas pessoas trabalham e quais são as estratégias mais eficazes para retê-los.

Um dos grandes desafios é o fato de que essas pessoas contam com espírito empreendedor, sonham alto e aspiram cargos de liderança. Nesse sentido, buscam por ferramentas que contribuam para que eles alcancem esse objetivo. Ou seja, a empresa que não oferece tais insumos tende a perder talentos e a sofrer os impactos negativos trazidos por uma alta rotatividade.

Além disso, devemos levar em consideração que, cada vez mais, as pessoas pesquisam a organização antes de se submeter ao processo seletivo. Caso a imagem seja negativa perante o mercado, dificilmente um talento de destaque vai se interessar em trabalhar. Ou seja, o employer branding entra como uma estratégia que vai além de reter, como também para trazer outros nomes interessantes para o seu time.

O que é employer branding?

Conforme vimos, os desafios para a retenção de talentos são muitos, em especial se analisarmos a mudança na força de trabalho. Sendo assim, o employer branding surge como um conjunto de estratégias e práticas que contribuem para melhorar a reputação da empresa como uma boa empregadora.

A partir desse investimento, profissionais se tornam propagadores da marca. Consequentemente, há melhorias até mesmo no relacionamento com os clientes, garantindo taxas de retenção maiores. Além disso, conforme abordado, talentos que ainda não conhecem a sua empresa terão boas recomendações em processos seletivos futuros, ampliando a competitividade no mercado.

Quais os benefícios do employer branding para as empresas?

Além dos pontos já mencionados, como a alta retenção e a atração de talentos, devemos levar em consideração que a organização que se preocupa com as estratégias de employer branding, naturalmente, humanizam as relações profissionais. Consequentemente, há melhorias para a produtividade dos colaboradores e também para o engajamento.

Um ponto importante que deve ser destacado: todos esses fatores podem ser mensurados pela empresa, de modo que analise de forma contínua como as estratégias de employer branding trouxeram modificações — ou não — para a realidade do negócio.

Além disso, podemos destacar como pontos positivos do employer branding:

  • construção de um banco de talentos, uma vez que a empresa será um chamariz de novos profissionais;
  • custo para recrutamento e seleção será reduzido;
  • a marca passa a adquirir um importante ponto de divulgação — os próprios colaboradores;
  • consequentemente, vai contar com resultados mais satisfatórios.

Como implementar estratégias de employer branding na empresa?

A seguir, apresentamos algumas sugestões para aplicar o employer branding na empresa. Confira!

Cultura organizacional sólida

Seja quais forem as técnicas adotadas, é essencial que elas estejam alinhadas com a cultura da empresa. De forma simplificada, podemos definir a cultura como a forma com que as pessoas se comportam na empresa, seja em função de seus valores pessoais e coletivos, seja pelos rituais, incentivos, exemplos e histórias.

Apesar de a cultura ser “orgânica”, ela se forma de acordo com os valores de pessoas influentes dentro do grupo. Seja dos fundadores, seja da diretoria, é a partir da visão que essas pessoas têm é que vai influenciar em decisões, rituais e demais atividades dentro do negócio.

Nesse sentido, é importante que as práticas de emplouyer branding tenham alinhamento com a cultura. Diferentes empresas vão adotar práticas distintas para os empregadores. Não há o certo ou o errado. O ideal é que as técnicas implementadas sejam coerentes com o que as pessoas do time consideram importantes.

Percepção da marca no dia a dia

A cultura da empresa deve ser percebida nas pequenas práticas do dia a dia. Entenda: empresas que investem em diversidade, também devem estar atentas à inclusão. Afinal, para contratação de pessoas cujas narrativas se diferem dos outros profissionais, é preciso que na rotina haja respeito e entendimento sobre essas histórias.

Nesse sentido, é preciso que as pessoas espalhem essas qualidades e saibam lidar tanto com colegas quanto com o público externo.

Atenção ao processo de recrutamento e seleção

Uma empresa que se preocupa com a percepção dos profissionais está atenta a todas as interações que o profissional tem de sua marca, independentemente de qual seja o momento da jornada. Nesse sentido, trate os candidatos como se fossem consumidores de sua empresa.

Isso contribuirá não apenas para que as pessoas se sintam interessadas em participar de seu grupo, como também vai gerar impacto na receita. De acordo com um estudo elaborado pela BCG — o Realizing the value of people management —, práticas de recrutamento e seleção bem feitas contribuem em mais de 3 vezes no crescimento e 2 vezes na margem de lucro.

Gestão de desempenho

Primeiro, vamos entender de forma clara sobre o que é gestão de desempenho. Herman Aguinis, um dos grandes nomes que estudam sobre o tema, define como “o processo contínuo de identificação, mensuração e desenvolvimento do desempenho de indivíduos e times, e o alinhamento desse desempenho com os objetivos estratégicos da organização”.

Devemos levar em consideração que dentro da gestão de desempenho há um componente de medir e outro de melhorar ou desenvolver. Além disso, é preciso entender que o desempenho não pode ser desassociado dos objetivos estratégicos da empresa.

Mas como isso está intimamente ligado às técnicas de employer branding? Por meio de uma avaliação de desempenho bem estruturada, além de fornecer ao profissional a oportunidade de se desenvolver a partir de feedbacks, consequentemente vai haver uma melhoria de relacionamento entre as lideranças e o time como um todo.

Além disso, em reuniões de one-on-one, a gestão tem a oportunidade de entender sobre os desafios de seus liderados e lideradas, de modo que a empresa trace estratégias proativas para a retenção dos talentos.

Quais os principais exemplos de empresas que se destacam com employer branding?

A seguir, selecionamos alguns exemplos de empresas que se destacam com seu employer branding. Confira!

Natura

A Natura se destaca de forma muito positiva quando abordamos sobre employer branding. Primeiro, há um forte investimento em diversidade e inclusão. De acordo com Flavio Pesiguelo, vice-presidente de pessoas e cultura da empresa, “faz parte da nossa cultura criar condições de desenvolvimento e inclusão, e é importante que isso seja constantemente praticado por meio de ações afirmativas”, afirma.

Para que essa preocupação não fique apenas no papel e ganhe contornos mais importantes na empresa, há a criação de grupos que têm como objetivo criar repertório para que as demais pessoas entendam sobre o tema. Além disso, é destaque na contratação de pessoas com deficiência, bem como reconhece a importância do desenvolvimento de mulheres, negros e pessoas LGBTI+.

Conta, ainda, com o programa Jovem Aprendiz, no qual as pessoas ganham a oportunidade de darem os primeiros passos na vida profissional, de modo que possam acumular experiências para conquistarem outros espaços no mercado.

Netflix

A Netflix, que todos conhecem bem, é destaque no modo como lida com seus clientes nas redes sociais, mas também ganha notoriedade quando o assunto é employer branding.

Desde 2015, conta com um programa de licença parental, cujo objetivo é cobrir o primeiro ano dos novos pais. Dessa forma, há a possibilidade de eles vivenciarem com qualidade esse período inicial de seus filhos, sendo apenas um dos benefícios oferecidos pela empresa.

Em relação à sua cultura organizacional, a empresa gosta de defini-la como uma de Liberdade e Responsabilidade. De acordo com a organização, é mais produtivo tratar os profissionais como adultos responsáveis do que trazer uma série de regras sobre como devem se comportar.

No caso das férias, por exemplo. Em vez de imporem regras restritivas sobre o modo como os profissionais devem tirar, a empresa prefere oferecer autonomia para que eles tirem os seus dias de descanso com senso e responsabilidade.

Google

A Google dispensa apresentações. Em relação ao employer branding, sabemos que é considerada uma das melhores empresas para se trabalhar. Mas quais são as estratégias adotadas pela organização que contribuem nesse sentido?

O ambiente “work hard, play hard” se tornou uma inspiração para empresas de grande parte do mundo, uma vez que contribui para que talentos queiram fazer parte dessa equipe. O Googlegeist, por exemplo, é uma pesquisa anônima enviada anualmente aos profissionais da empresa, cuja taxa de resposta reflete a aceitação da estratégia por parte dos profissionais — 90%.

Por meio dela, a organização tem a oportunidade de descobrir:

  • como está o bem-estar das pessoas do time;
  • o que eles pensam sobre a cultura da empresa;
  • qual é a percepção que têm sobre as lideranças;
  • como está o equilíbrio entre vida pessoal e profissional; entre outros pontos relevantes.

A partir desse diagnóstico, a gestão tem insumos eficazes para trabalhar em pontos de melhoria, o que contribui para uma melhor qualidade de vida do colaborador no âmbito profissional.

Grupo Netshoes

O Grupo Netshes também é referência quando abordamos sobre employer branding. Primeiro, a organização buscou alinhar a sua imagem perante os profissionais. Só depois de alinhar esse ponto é que alinhou a imagem para o mercado.

Para nortear esse posicionamento, o grupo se preocupou em reposicionar a cultura interna. Ou seja, entender como as pessoas do time percebiam a empresa. Contou com 6 etapas que possibilitaram um melhor entendimento da gestão sobre a percepção das pessoas em relação à empresa:

  • Diagnóstico da empresa.
  • Alinhamento entre o diagnóstico da empresa e a visão do fundador.
  • Definição escrita dos valores do grupo.
  • Comunicação inicial para todo o time.
  • Processos criados a partir do alinhamento com esses valores.
  • Reforço dos valores com uma campanha de comunicação interna.

Neste conteúdo, você pôde entender o que é employer branding, qual é a importância de investir nessa estratégia, além de conferir dicas de como implementá-lo. Conforme abordado, é essencial destinar parte de sua atenção para a percepção dos colaboradores com a empresa. Assim, há uma maior retenção de talentos, além de contar com colaboradores que estejam engajados a cumprirem com suas funções buscando sempre inovação e melhorias.

Como mencionamos sobre a Netflix, para saber um pouco mais sobre a cultura de alto-desempenho da empresa basta continuar no blog!