Qulture.Rocks se junta ao UOL EdTech. Saiba mais

Em medição de startup, bem-estar no trabalho tem índice abaixo do ideal

Renan Araújo

Bem-estar no trabalho – palitos de fósforo

Conforme mencionamos há algum tempo, Burnout passa a ser classificado pela OMS como doença do trabalho. Nesse contexto, é importante observar, analisar e elaborar planos de ação para o bem-estar de sua equipe.

No entanto, passamos por dois anos muito conturbados. O esgotamento mental adquirido nesses últimos tempos, certamente, vai trazer reflexos para 2022. Em 2020 e 2021, as pessoas tiveram múltiplas preocupações, seja com a saúde de seus entes, seja com a segurança de seu emprego ou até mesmo com a adaptabilidade ao trabalho remoto.

E todo esse conjunto de situações fez com que o Índice de Bem-Estar Corporativo (IBC), medido pela Zenklub, ficasse bem abaixo do ideal. Entenda!

Navegue pelo conteúdo:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Índice de Bem-Estar corporativo

A Zenklub realiza uma pesquisa para entender como anda o Índice de Bem-Estar Corporativo. Em 2021, esse número ficou em 49,25, bem abaixo do ideal. O mínimo esperado é de 78.

Entenda o mapeamento realizado pela Zenklub

Para esse mapeamento, a empresa leva em consideração três dimensões do burnout:

  • sensação de esgotamento ou exaustão de energia;
  • aumento da distância mental do trabalho ou sentimentos de negativismo;
  • eficácia profissional reduzida.

Ao todo, foram entrevistadas mais de 1500 pessoas em 335 empresas de todas as regiões do país. Confira os índices separados por localizações:

  • Nordeste — 69,17;
  • Centro-Oeste — 60,42;
  • Sudeste — 57,07;
  • Sul — 52,28;
  • Norte — 37,5.

Um ponto observado pela pesquisa é que, quanto maior o número de profissionais da empresa, menor tende a ser o bem-estar. Confira quais são os setores que mais merecem atenção, de acordo com o levantamento:

  • farmacêutico — 79,17;
  • recrutamento — 75,89;
  • seguros — 70,31;
  • logística — 69,64;
  • indústria — 69,06.

Motivos que impactam o bem-estar da empresa

Não é apenas o burnout que impacta o bem-estar de uma empresa, de acordo com o estudo. Outros 4 motivos também refletem diretamente nesse sentido. Confira:

  • relacionamento entre colegas e líderes;
  • volume de demanda e controle — alta quantidade de demanda ou dificuldade de ter um controle sobre a sua rotina;
  • ambiente de trabalho — como já mencionamos em alguns conteúdos, é essencial que a empresa invista em um ambiente de trabalho saudável;
  • adição ao trabalho — é a dificuldade que as pessoas têm de se desconectar das tarefas do trabalho. Isso pode ter sido agravado especialmente pelo trabalho remoto, uma vez que a casa também se tornou o seu espaço profissional.

E a sua empresa, o que tem feito para melhorar o bem-estar de colaboradores e colaboradoras?