fbpx

Estresse no trabalho: conheça as causas e como evitar

Renan Araújo

estresse-no-trabalho

No mês do Setembro Amarelo, damos prosseguimento a textos que abordam sobre fatores importantes que as empresas devem ficar atentas. Hoje, mencionamos sobre estresse no trabalho e as suas principais causas.

No dia a dia de uma organização, caso o estresse entre as equipes esteja elevado, existem os riscos de as taxas de turnover e absenteísmo também estarem altas, o que ocasionaria em problemas financeiros e também para a imagem e reputação do negócio — uma vez que a percepção das pessoas poderia impactar na decisão de futuros candidatos e na permanência dos principais talentos no quadro de colaboradores.

Neste material, além de apresentar algumas das causas, explicaremos formas de evitar o estresse no trabalho. Continue a leitura e saiba mais!

Principais causas do estresse no trabalho

De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa de gestão de projetos Wrike, elaborada com mais de 1400 profissionais no mundo todo, foram elencadas algumas das principais causas do estresse no ambiente de trabalho. Confira o resultado:

  • desencontro de informações — 52%;
  • problemas com prioridades de tarefas — 51%;
  • metas irreais — 49%;
  • mudanças de prazos —  47%5;
  • liderança confusa — 44%6;
  • atribuição de tarefas pouco claras —  44%;
  • distorção de funções —  43%8;
  • falta de colaboração e coordenação —  42%;
  • falta de força de vontade da equipe —  37%;
  • pouco envolvimento de patrocinadores —  28%;
  • incerteza sobre o próprio papel no projeto —  24%

Além disso, de acordo com um estudo feito pela Isma-BR, foi percebido que 72% das pessoas em nosso país que estão no mercado de trabalho, independentemente da função, sofrem com alguma sequela ocasionada pelo estresse. O Brasil ainda é o segundo país com maior índice de estresse do trabalho em todo o mundo.

Como lideranças e RH podem atuar nas empresas para evitar estresse no trabalho

Diante das causas apresentadas e de um cenário bem desconfortável do país em relação ao tema, existe a necessidade de traçar estratégias e soluções que contribuam de forma positiva nas empresas. RH e lideranças terão um papel fundamental nesse sentido. A seguir, explicamos como. Confira!

Alinhamento de prioridades

Conforme vimos, o desencontro de informações está entre as principais causas que ocasionam em estresse no trabalho. Por essa razão, as lideranças devem ter prioridades bem definidas com seus liderados e lideradas, uma vez que essa prática vai trazer maior foco para o que é importante para a empresa, além de ser um fator positivo para que as pessoas remem na mesma direção.

Inclusive, já existem ferramentas que trazem essa facilidade para as equipes. Semanalmente, profissionais definem quais são as suas três prioridades e as lideranças podem concordar ou propor uma troca de foco.

Sendo assim, as pessoas têm a oportunidade de direcionar esforços para o que de fato é essencial para o negócio naquele período, o que traria mais motivação e engajamento.

Metodologia de OKRs

Por falar em alinhamento, não podemos deixar de mencionar a metodologia OKRs. Trata-se de um sistema de metas coletivas e individuais que convergem para as metas globais de uma organização. Entre os principais diferenciais, especialmente se compararmos com as metas tradicionais, destacamos a simplicidade e a transparência, bem como os efeitos de motivação de equipes que o método proporciona.

Em terceiro lugar na lista de causas que provocam estresse no trabalho, identificamos as metas irreais. Os OKRs, nesse sentido, são criados e reavaliados em ciclos mais curtos, que variam entre 1 e 6 meses. Se houver a identificação de que alguma meta foi proposta acima do que era atingível, isso pode ser alterado em conjunto com as lideranças no planejamento do próximo ciclo.

Além disso, elas são definidas de forma descentralizada, dando mais voz e participação às equipes envolvidas. Enquanto nas metas tradicionais os Objetivos tendem a ser desdobrados do topo para baixo, aqui há uma maior flexibilidade. Afinal, as próprias pessoas são incentivadas a definir os seus OKRs em alinhamento com os objetivos mais elevados.

One-on-ones

One-on-ones são reuniões periódicas entre lideranças, liderados e lideradas. No livro The Hard Thing About Hard Things o fundador da Netscape, Opsware e A16Z, Ben Horowitz destaca sobre a importância desses encontros para os times: “Na ausência de uma arquitetura de comunicação bem projetada, informações e ideias irão estagnar e sua empresa irá se degenerar e se transformar em um lugar ruim para trabalhar [se não houver 1:1s]”, afirma.

Lideranças confusas também são pauta quando nos referimos a estresse do trabalho. A prática de one-on-ones vão possibilitar um relacionamento mais próximo entre a gestão e as pessoas, de modo que transmita:

  • a sensação, para o colaborador, de que alguém se preocupa com ele no nível pessoa;
  • a sensação de que também tem alguém que está atento ao desenvolvimento e carreira;
  • a oportunidade de ele ser ouvido no ambiente profissional.

Consequentemente, esses tópicos ocasionam alguns diferenciais:

  • melhor fluxo de informações da empresa de baixo para cima, de modo que haja decisões mais preventivas em vez de reativas;
  • melhor engajamento de colaboradores a partir dos feedbacks;
  • mais confiança entre os times.

Prática de feedbacks

Por falar em feedbacks, não podemos deixar de mencionar a importância que eles exercem para a construção de times e de equipes alinhadas. Trata-se de um processo no qual uma pessoa traz as suas percepções para outras, sejam positivas, sejam negativas.

Partimos da premissa que a intenção da pessoa emissora é o genuíno interesse no desenvolvimento do receptor. Entre os diferenciais dessa prática para a empresa, destacamos:

  • orienta as pessoas sobre os melhores caminhos a seguir;
  • contribui para resultados mais efetivos da organização;
  • amplia o desenvolvimento das pessoas envolvidas.

Levando em consideração que alguns dos principais motivos do estresse no trabalho é a atribuição de tarefas pouco claras e falta de força de vontade da equipe, feedbacks contínuos podem aprimorar essa questão e contribuir para que as pessoas estejam mais envolvidas em suas demandas e mais alinhadas com os objetivos do negócio.

Neste conteúdo, você pôde identificar algumas das principais causas do estresse no trabalho, além de conferir como algumas das práticas de gestão de desempenho podem contribuir positivamente nesse sentido. Independentemente das ações implementadas, é interessante que as empresas e lideranças analisem o impacto que elas trouxeram para os times, de modo que haja aperfeiçoamento constante nas diferentes metodologias.

Se você deseja se aprofundar mais em tópicos sobre gestão de desempenho, continue no blog e acompanhe outros materiais que produzimos sobre o tema!