Qulture.Rocks se junta ao UOL EdTech. Saiba mais

Benchmarking no RH: você sabe executá-lo de forma eficiente?

Qulture.Rocks

Benchmarking no RH - Duas mulheres conversando

Traduzindo de forma literal, benchmarking significa ponto de referência. Trata-se de um processo de pesquisa no qual uma empresa vai realizar com o mesmo setor de outro negócio para analisar seus processos, suas estratégias e suas estruturas.

Por meio dele, os Recursos Humanos têm a oportunidade de monitorar o mercado, interpretar, avaliar e mensurar, além de entender quais das ações adotadas em outras organizações se encaixam com a sua realidade.

Porém, muitas vezes há dúvidas de como fazer o benchmarking da forma mais eficaz, de modo que traga os resultados almejados. Neste material, a gente explica sobre o tema. Entenda!

Navegue pelo conteúdo:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Quais os principais tipos de benchmarking?

Competitivo

No benchmarking competitivo, a sua empresa fará uma análise da concorrência para entender alguns parâmetros importantes. Exemplo: quais são as práticas de employer branding divulgadas por organizações do mesmo nicho de atuação? Como eles divulgam as vagas para atrair os principais talentos do mercado? Eles são clientes de algumas soluções inovadoras para a gestão de talentos, de desempenho etc.?

Genérico

Aqui, você vai fazer um comparativo com empresas que tenham processos semelhantes, mesmo que não haja uma disputa no mercado e nem sequer elaboram o mesmo produto. Se você admira as práticas de uma organização, por exemplo, tem a oportunidade de marcar uma conversa, independentemente de qual é o nicho de atuação.

Funcional

Aqui, também há uma busca por práticas que podem ser implementadas em qualquer empresas, concorrente ou não. Quando analisamos o benchmarking no RH, nos deparamos muitas vezes com esse tipo. Afinal, qualquer negócio precisa ter um setor como esse minimamente estruturado para que possa atrair, reter talentos, lidar com questões burocráticas, entre outros pontos.

Interno

Nem sempre o benchmarking precisa ser feito com outras empresas. Se você estiver iniciando o processo de estruturação da área, tem a possibilidade de conversar com setores que já tenham um time mais maduro para entender sobre processos, rotina, como é o dia a dia das equipes, entre outros pontos.

Banner Ebook Talent Science

Quais os diferenciais do benchmarking no RH?

Agora que você já sabe sobre os principais tipos de benchmarking no RH, selecionamos alguns dos benefícios proporcionados por essa prática:

  • identificar quais são as áreas internas ao departamento de RH que necessitam de melhorias e quais são as ferramentas que podem contribuir nesse sentido;
  • entender cases de sucesso de outras empresas, analisar o que cabe em sua realidade e adotar na rotina de seu time;
  • avaliar quais são as principais tendências do setor e como elas contribuem para que a empresa possa alcançar seu objetivo macro;
  • ter bases argumentativas para que a diretoria da empresa possa investir mais na área de Recursos Humanos;
  • criar um plano de ação para desenvolver outras estratégias que seriam positivas para a área.

Como fazer o benchmarking no RH?

A seguir, selecionamos algumas das principais dicas para que você possa executar o benchmarking no RH de forma mais eficiente. Confira!

Selecione as empresas que gostaria de monitorar

Inicialmente, claro, é preciso selecionar quais são as empresas que você gostaria de monitorar ou de marcar uma conversa. Porém, é preciso dar um passo atrás para entender quais são os objetivos de seu benchmarking. A partir disso, é possível selecionar aquelas organizações que melhor se destacam nesse sentido para analisar suas estratégias.

Exemplo: suponhamos que você gostaria de iniciar uma área de employer branding. Para avaliar se uma empresa é referência nesse sentido, avalie se ela já tem um setor estruturado, quais são as funções existentes nessa área e se os processos já são maduros o suficiente para que você possa tirar bons insights. Afinal, de nada adianta entrar em contato com um time que está no mesmo patamar que o seu, concorda?

Participe de eventos

Outra dica importante para o benchmarking no RH é a participação em eventos. Por meio dessa prática, há a possibilidade de melhorar o seu networking. Quanto mais profissionais você conhece, melhor será para a sua rede de conexões, uma vez que poderá levantar dentro de seus próprios contatos quem seria a pessoa mais indicada para um bench.

Mensure os resultados

Independentemente de qual seja a estratégia adotada pelo seu negócio, é importante mensurar os resultados para avaliar o que deu certo e o que pode ser aperfeiçoado. No caso do benchmarking, você vai ter um objetivo em específico ao final de todas as conversas: analisar quais são as estratégias das empresas pesquisadas e o que combina ou não com a realidade de sua empresa.

Entenda: suponhamos que você fez contato com um grande player do mercado. Essa organização já está com processos muito estruturados e várias áreas atuando em conjunto em prol do objetivo do negócio. Porém, o seu setor está iniciando a estruturação das atividades. Nesse sentido, analise: o que seria prioritário de investir nesse momento?

Escolha bem os fornecedores

Fornecedores de Recursos Humanos podem abrir portas para o seu benchmarking. Existem empresas, por exemplo, que executam a criação de debates e comunidades para que seus clientes possam interagir, entender os cenários de outros colegas e, consequentemente, poder aplicar diferentes ações para a sua realidade com base em insights tirados desses momentos.

E você, o que acha de implementar as práticas de benchmarking no RH? Ao longo do material, também mencionamos sobre o networking. Se você deseja saber um pouco mais sobre o assunto, continue no blog, confira um outro artigo que escrevemos e tire suas dúvidas!