fbpx

Case: conheça os rituais da Avenue Code e entenda como a Qulture potencializa suas campanhas

Renan Araújo

A Avenue Code é uma consultoria de software focada na entrega de soluções de transformação digital de ponta a ponta para organizações corporativas. Com quase 800 colaboradores em seu quadro, o início do negócio foi focado em fornecer soluções para o comércio eletrônico. Porém, nos últimos anos, o aprendizado adquirido ao longo da trajetória da empresa foi aplicado para diversas indústrias, incluindo setores de finanças, automotivo e da saúde.

O RH na Avenue Code

Hoje, o RH da Avenue Code é composto por 3 subsistemas:

  • People Development — lida com análises de performance, programas internos, acompanhamento de carreira, entre outros pontos que se relacionam ao desenvolvimento de profissionais;
  • People Operations — lida com a jornada dos profissionais na Avenue, desde o onboarding, gestão de benefícios até o offboarding;
  • Communication & Engagement — comunicação interna da Avenue, que contribui para que a cultura seja sólida, especialmente em um cenário de pandemia, Crossroads – o comitê de diversidade, e o AC Social, pilar social da empresa. 

A parceria com a Qulture.Rocks

A parceria com a Qulture começou no segundo semestre de 2019. De acordo com Danielle Machado, diretora de Recursos Humanos, “percebemos uma necessidade de estruturar nossos processos, organizar a forma como profissionais davam feedbacks, como realizávamos nossas análises de performance — especialmente pelo crescimento da empresa. A gente quer ter a certeza de que as pessoas são reconhecidas, principalmente em um negócio que oferece muita autonomia”, afirma.

Rituais na Avenue Code

Como a empresa cresce de forma acelerada, o time de People Development conta com o papel das lideranças para estarem mais próximas das pessoas da empresa no dia a dia.

Além disso, há o programa de Buddies, que são peças-chave para acompanhar os profissionais na rotina. De acordo com Victória Sarvanini, lead do time, eles são como padrinhos que tiram dúvidas dos colaboradores e também acompanham o desenvolvimento de suas carreiras — sendo um importante suporte para as pessoas.

Também há o processo de avaliação de desempenho, estruturada em 4 ciclos ao longo do ano: “são momentos de revisão e de alinhamento. Estimulamos lideranças a fazerem one-on-ones para que haja a definição do que é preciso melhorar, o que estão mandando bem, entre outros pontos importantes”, afirma.

Campanha Go for Growth

A campanha, desenvolvida e executada pelo Career Advisor da empresa, Arthur Fonseca, foi focada em sensibilizar, preparar e dar oportunidade de prática de feedback para os colaboradores no dia a dia — “que trouxesse a leveza que queríamos transmitir ao implementar a cultura de feedback”, segundo Victória.

Ao longo de 4 meses foram feitos 4 desafios, um por mês. As primeiras 20 pessoas a completarem os desafios e compartilharem sua experiência num board compartilhado ganhariam livros para desenvolver soft skills importantes para a carreira:

  • Solicitar um feedback na plataforma — a ideia era de refletir em relação ao feedback que recebeu e compartilhar com o grupo os insights que ele teve a partir desse retorno;
  • Teste de autoconhecimento — o objetivo era que as pessoas refletissem sobre o alinhamento de expectativas com líderes, liderados e colegas; 
  • Oferecer um feedback sobre pontos fortes — a intenção é reforçar pontos positivos de profissionais;
  • Feedbacks por escrito na avaliação de desempenho — apoias pessoas a transmitirem feedbacks usando principalmente o modelo SCI (Situação + Comportamento + Impacto). 

Danielle afirma que o objetivo da campanha foi tornar o feedback uma prática menos formal e reforçar a cultura do feedback como uma ferramenta de desenvolvimento contínuo: “Em muitas empresas, a prática é enxergada como um momento difícil, ou guardada para ocasiões em que o emprego de uma pessoa está em risco. Nosso objetivo foi torná-la constante, seja diária, seja semanal”.

E a Qulture.Rocks contribuiu significativamente nesse sentido: “principalmente com o trabalho remoto, a ferramenta possibilitou que a prática fosse leve e contínua dentro da empresa — e pôde ser aplicada em diferentes culturas, uma vez que temos escritórios em outros países”.

Esse é um exemplo de uma campanha simples feita internamente e que rendeu um ótimo retorno por parte de colaboradores e colaboradoras. Para implementar essa cultura na empresa, não é preciso pensar em ações grandiosas: entender o perfil de seu negócio, saber o que engaja o time e ter um propósito claro são algumas das prioridades no momento de elaborar as ações.

Se você deseja implementar estratégias que facilitem a prática de feedbacks e não sabe como, entre em contato com o nosso time e tire suas dúvidas!