fbpx

Conheça algumas tendências de Employer Branding para enterprise

Renan Araújo

tendencia-de-employer-branding

Os desafios para a retenção de talentos são muitos, em especial para empresas enterprise. Nos últimos anos, tivemos ainda uma mudança na força de trabalho. Até 2025, por exemplo, os Millenials (nascidos entre as décadas de 90 e 2000), representarão cerca de 75% das empresas. Por essa razão, as organizações devem entender como essas pessoas trabalham e quais são as estratégias para retê-los. Nesse cenário, entender algumas das tendências de employer branding deve estar entre as prioridades.

Trata-se de um conjunto de práticas e estratégias que contribuem para melhorar a reputação da empresa como uma boa marca empregadora. Consequentemente, colaboradores se tornarão propagadores da empresa, possibilitando melhorias para a reputação do negócio.

Neste conteúdo, apresentaremos brevemente sobre a importância dessas práticas, além de explicar algumas das tendências para empresas enterprise ficarem de olho. Continue a leitura e saiba mais!

Quais as vantagens do employer branding para empresas?

Os ganhos do investimento em employer branding vão além da marca positiva que a empresa terá perante o mercado e outros profissionais. Destacamos, ainda, a alta retenção e atração de talentos, outro importante desafio das empresas. Entre os impactos negativos que o turnover traz para a organização, destacamos:

  • custos relacionados à demissão voluntária, como multas, rescisão etc.;
  • custos para preencher as vagas criadas, que vai desde o anúncio das oportunidades até ao gerenciamento de tempo da equipe de recrutamento;
  • custos com consultorias de seleção e testes aplicados;
  • necessidade de treinamento das novas pessoas do time, deslocando profissionais para realizá-los;
  • perda de produtividade, tanto no período em que a vaga está vazia quanto na espera até que o novo profissional alcance sua capacidade máxima (rump-up), entre outros.

Como as práticas de employer branding visam melhorar a qualidade de vida no trabalho e garantir um bom clima organizacional, consequentemente o turnover será mais baixo. Outros benefícios identificados pelas práticas são:

  • possibilidade de construir um banco de talentos, pois a empresa será um chamariz de novas pessoas que desejam fazer parte do time;
  • a marca passa a adquirir um importante ponto de divulgação, tanto para clientes quanto para outros talentos — os próprios colaboradores serão esses propagadores;
  • melhores resultados para a empresa.

Quais são as tendências de employer branding que podem ser aplicadas?

Agora que você já conhece alguns dos principais benefícios do employer branding para as empresas enterprise, chegou o momento de apresentarmos algumas das tendências para serem adotadas. Confira!

Investimentos em saúde mental

Em 2020, a Ambev surpreendeu o mercado ao anunciar uma nova diretoria: a de saúde mental. Mariana Holanda, primeira diretora do grupo, assumiu o cargo em junho do ano passado, com projetos e eventos que trouxessem contribuições aos colaboradores nesse sentido.

No mês de setembro, por exemplo, um evento virtual permitiu que as principais lideranças compartilhassem alguns de seus maiores erros da carreira, trazendo aos demais colaboradores uma “permissão” para o erro, com um olhar mais apurado para o ser humano em sua totalidade.

Essa é uma atenção que está ainda mais em voga devido aos reflexos da pandemia da Covid-19 no Brasil e a sua duração. De acordo com um estudo realizado pela Workana, cerca de 43,7% das pessoas sentiram algum tipo de prejuízo mental durante esse período.

Na Ambev, de acordo com a própria diretora, essa nova área não pretende olhar apenas para os extremos (casos de depressão e Burnout, por exemplo). O intuito é trazer algumas características que devem ser mais discutidas nas organizações, como vulnerabilidade, empatia e escuta propensa ao próximo.

Investimento em diversidade

Segundo uma pesquisa realizada pela empresa Deloitte, 23% das pessoas já deixaram seus empregos para trabalhar em outras organizações mais inclusivas. No início deste material, mencionamos sobre a retenção de talentos proporcionada pelas práticas de employer branding, fato reforçado por esse estudo.

Porém, essa ainda não é uma realidade em grande parte das empresas. Segundo o Instituto Ethos, realizado com 500 empresas brasileiras, apenas 2% dos colaboradores de empresas nacionais são pessoas com deficiência. Mulheres representam apenas 13,6% de cargos de liderança, com uma média salarial 30% menor.

Porém, quando mencionamos sobre diversidade, as empresas devem se preocupar além da contratação. De fato, o primeiro passo é trazer reformulações para o processo seletivo. No entanto, deve haver uma política de inclusão a essas pessoas, oferecer horários flexíveis para pessoas que precisam se ausentar mais com consultas médicas, estender benefícios de licença paternidade e maternidade para casais LGBTQs, bem como garantir que será um espaço que não tolera nenhum tipo de discriminação.

O Grupo GPA, por exemplo (dono de grandes marcas, como Casas Bahia, Pão de Açúcar, Extra etc.), lançou em 2015 uma carta de compromisso com a diversidade. Entre as iniciativas adotadas, a qualificação de pessoas acima de 55 anos trouxe mais de 3000 funcionários da terceira idade para o grupo.

Embaixadores internos

Mencionamos que um dos principais diferenciais das empresas que investem nas tendências de employer branding é o de conquistar promotores da marca. Profissionais satisfeitos vão divulgar seus produtos e serviços para amigos e conhecidos, bem como estimular que talentos reconhecidos do mercado queiram fazer parte desse time.

A busca por influenciadores internos pode ser ainda mais efetiva se a empresa investir nesse tema. Selecionar as pessoas mais motivadas e que ao mesmo tempo cumprem bem com as suas demandas é uma ótima alternativa para que a imagem perante o mercado fique ainda mais positiva.

Para essa escolha, indicamos o seguinte processo:

  • aplicação da avaliação de desempenho com 9-Box, possibilitando identificar as pessoas que mais se destacam no time;
  • aplicação da pesquisa de clima organizacional para aqueles que tenham uma boa performance, visando entender a percepção que eles têm sobre as políticas, práticas e processos da empresa.

Caso a percepção seja positiva, a empresa pode oferecer incentivos para que os profissionais que se destacam se tornem influenciadores da organização. Além de estimular que outras pessoas também exerçam seus papéis de forma positiva, cria insumos para fortalecer a organização.

Estratégia global

A pandemia da Covid-19 trouxe fortes impactos para a realidade das empresas. Porém, muitas organizações que ainda não experimentaram a realidade de home office, puderam perceber que há a possibilidade de a equipe operar de forma completamente remota.

Nesse sentido, as contratações ganharam um aspecto global. Não há a necessidade de os profissionais residirem na cidade sede da empresa. Pode ser de qualquer lugar do Brasil ou do mundo. Isso amplia, assim, as oportunidades de o negócio operar em outros países, sendo necessário também um aumento de gastos com divulgação para candidatos de outras localidades.

Neste conteúdo, você pôde entender algumas tendências de employer branding, conhecer os diferenciais de investir nessa estratégia, além de conferir dicas do que pode ser adotado em seu negócio. Independentemente de qual seja a sua escolha, o ideal é contar com um bom planejamento, analisar os recursos disponíveis e adaptar todas as ações de acordo com a realidade de seu negócio. Assim, aumentam as chances de alcançar os resultados almejados.

Ao longo do material, mencionamos sobre o turnover. Um outro problema causado pela falta de preocupação com a rotina da equipe é o absenteísmo. Se você deseja saber um pouco mais sobre o tema, continue no blog e boa leitura!