fbpx

Design thinking no RH: entenda mais sobre essa metodologia!

Renan Araújo

design-thinking-no-rh

Buscar por metodologias e estratégias que aperfeiçoam a área de Recursos Humanos deve ser uma ação primordial para a equipe. Por meio dessa prática, há a possibilidade de otimizar o trabalho do time, de trazer soluções mais inovadoras e de tornar o setor cada vez mais estratégico. Nesse contexto, o design thinking no RH se destaca.

“Pensando em design” é a sua tradução literal. Mas como isso poderia ser aplicado para a realidade da área em uma empresa? Pensando nisso, elaboramos este material para que você entenda detalhadamente sobre o que é essa metodologia, seus diferenciais e como adotá-la. Continue a leitura e saiba mais!

O que é o design thinking?

O design thinking é uma metodologia que contribui para que todo o time possa “pensar fora da caixa”. A equipe vai, por meio dessa estratégia, pensar em alguns conceitos normalmente utilizados em design para resolver gargalos e trazer soluções mais inovadoras.

O design ainda é uma área relativamente nova, diferente de outras ciências, como a medicina, a filosofia e a matemática. Por essa razão, o termo design thinking só foi abordado na década de 1960, como uma evolução da teoria do design.

Depois de alguns anos, essa metodologia foi discutida no Fórum Econômico Mundial de Davos em 2006, além de ser capa da Harvard Business Review de 2008. Hoje, ela é reconhecida em todo o globo, o que contribui para que as empresas possam aperfeiçoar suas demandas e promover transformações em diferentes áreas — inclusive a de RH.

Ou seja, qualquer time que deseja inovar pode utilizar a metodologia, criando soluções que possibilitam resolver possíveis gargalos.

Quais são as etapas do design thinking?

Agora que você já sabe o que é o design thinking, explicaremos algumas de suas etapas. Confira!

Imersão

Um problema só pode ser discutido se toda a equipe entende especificamente do que se trata e quais são as diferentes visões de cada pessoa dentro do time. Por essa razão, o primeiro passo é analisar a situação de distintos ângulos e imergir as pessoas nesse contexto. Para obter melhores resultados nessa demanda, é possível criar personagens semi-fictícios que estão envolvidos diretamente nesse problema. No marketing, esse conceito é denominado como persona.

Exemplo: suponhamos que o time de RH tem como objetivo reduzir a taxa de turnover de um time específico — da área de CS, por exemplo. Nesse sentido, o ideal é criar um personagem que simula um colaborador dessa equipe, suas dores e principais objetivos, trazendo como diferencial uma visão mais clara sobre o que está sendo discutido.

Análise

Depois que toda a equipe já está imersa nesse contexto, é preciso analisar e identificar padrões. Para isso, buscar dados que envolvem o próprio problema permitirá que o time tenha um entendimento mais embasado sobre a situação.

Voltando ao exemplo da taxa de turnover elevada no time de CS, é possível analisar todos os pedidos de demissão do último ano e suas respectivas entrevistas de desligamento. Pode haver um padrão em todas essas saídas, o que permite ao time idealizar um plano de ação que ataque o gargalo.

Idealização

Por falar em idealização, essa é a próxima etapa do design thinking. As ideias serão discutidas e absorvidas dentro da equipe para trazer soluções.

Implementação

Depois que a ideia já tiver sido criada, chegou o momento de fazer com que ela ganhe forma. A implementação é, então, uma das etapas mais importantes do projeto, uma vez que a equipe tem a oportunidade de identificar e reduzir erros, além de elaborar um planejamento mais efetivo para não atrasar a entrega dos projetos. 

Quais os diferenciais de utilizar o design thinking no RH?

A seguir, apresentamos alguns dos principais diferenciais de utilizar o design thinking na área de RH, confira!

Inovação para a área

Continuamente se fala sobre inovação para diferentes setores, independentemente de qual seja. Mas como colocar isso em prática? Por meio do design thinking, os profissionais de Recursos Humanos são imersos em uma metodologia que contribui diretamente para que eles encontrem as melhores formas de solucionar os problemas.

Por meio das etapas apresentadas, o time vai compreender todos os passos relacionados à jornada de candidatos e de colaboradores, além de permitir que toda a equipe busque por ferramentas que aprimorem a experiência das pessoas na empresa.

Melhorias da imagem da empresa no mercado

Mencionamos frequentemente no blog sobre a importância de ter uma imagem positiva no mercado para a atração de talentos. Hoje, tanto a empresa escolhe pelo profissional quanto o profissional escolhe pela empresa — inclusive, existem canais específicos onde pessoas deixam suas percepções em relação a uma organização.

Por essa razão, quanto mais o processo de recrutamento for alinhado e sem gargalos, melhor será para a atração de colaboradores qualificados. Além disso, oferecer uma experiência positiva para as pessoas, independentemente da etapa da jornada, permite uma redução da taxa de turnover e de absenteísmo — o que impacta até mesmo na saúde financeira.

O que o mercado pensa sobre o design thinking no RH?

Esse é um processo que vem ganhando cada vez mais adeptos nas organizações. De acordo com o relatório Future of RH 2020, publicado pela KPMG em 2019, 46% das lideranças de RH já estão utilizando a metodologia visando trazer mais valor para a empresa.

Afinal, a partir dessa estratégia, existe a possibilidade de entender especificamente quais são os pontos que precisam de melhorias, de modo que personalize as experiências.

Neste conteúdo, você pôde entender sobre o design thinking no RH, o que é essa metodologia, além de conferir dicas de como implementá-la na área. Buscar por novas estratégias deve ser uma das prioridades do time, uma vez que vai contribuir para que o setor obtenha mais satisfação de seus colaboradores. Para implementar qualquer ação, o ideal é oferecer um treinamento para a sua equipe, de modo que todos entendam os objetivos dessa prática e os ganhos que o negócio terá a partir dela.

Se você gostou deste material e deseja conhecer outro tipo de metodologia que influencia positivamente o negócio, continue no blog e saiba tudo sobre OKRs!