fbpx

Diversidade cognitiva: entenda o que é, importância e como promovê-la

Renan Araújo

diversidade-cognitiva

Depois de um 2020 em que a adoção do trabalho remoto foi amplificada nas empresas, não há barreiras geográficas para grande parte das organizações — ou seja, tem a possibilidade de contratar colaboradores de qualquer região do Brasil. Por essa razão, traz a oportunidade de contar com profissionais que tenham pensamentos e percepções bem diferentes, o que é um estímulo para a inovação. Entender os ganhos que a empresa terá a partir disso tem a ver com diversidade cognitiva.

Pensando nisso, elaboramos este material para que você entenda do que se trata esse conceito, quais são os  benefícios de contar com esses diferenciais na empresa, além de conferir dicas de como implementá-la. Continue a leitura e saiba mais!

Qual a importância da diversidade nas empresas?

Primeiro, vamos entender um pouco mais sobre a importância da diversidade nas empresas.

De acordo com dados do relatório Diversity Matters, elaborado e publicado no ano de 2015 pela empresa de consultoria McKinsey Company, empresas que consideram a diversidade no momento de recrutar profissionais entregam resultados até 25% melhores do que aquelas que não se preocupam com o tema. Em organizações que investem em diversidade de gênero, há uma propensão 15% maior a terem performance superior. Quando há a promoção de diversidade étnica, esse valor sobe para 35%.

Além disso, segundo um estudo realizado pela consultoria de tecnologia Thoughtworks, em parceria com a iniciativa PretaLab, ao analisar se o investimento em diversidade nas empresas traz impactos para a performance e para os resultados, 87% das pessoas afirmaram que sim.

Conforme mencionamos no início deste artigo, ainda há mais estímulo para a inovação. É o que aponta dados da Hay Group. Segundo os estudos levantados pela empresa, profissionais de empresas diversas são 17% mais engajados, enquanto 75% reconhecem que existe espaço para propor e aplicar inovações.

Por fim, um estudo realizado pela Accenture, denominado “Rumo à inclusão 2019: criando uma cultura que estimula a inovação” destacou que as empresas inclusivas são até 11 vezes mais inovadoras e seus profissionais são até 6 vezes mais criativos.

Que a diversidade nas empresas é essencial, a gente sabe. Porém, um conceito que vem sendo debatido nos últimos anos é sobre diversidade cognitiva — ocorre quando a sua organização dá um outro passo nesse sentido.

O que é a diversidade cognitiva?

Em um ambiente onde há diversidade cognitiva, ideias contrárias são sempre debatidas e colocadas em prática, evitando a polarização. Afinal, trata-se da compreensão de que pessoas com personalidades diferentes, de locais distintos e com estilos completamente opostos podem agregar com novas soluções a todo momento, evitando novos problemas e corrigindo aqueles antigos que impactam os resultados da organização.

Ou seja, é o momento em que as empresas assumem a responsabilidade de contribuir para alguma mudança na sociedade, em um local onde são aceitos debates e discussões positivas sobre opiniões diferentes.

Nesse sentido, é papel do time de recrutamento conectar os valores e a cultura organizacional da empresa com perfis mais abrangentes, com flexibilidade intelectual e cultural.

Por que a diversidade cognitiva traz ganhos para a empresa?

Mencionamos alguns dos principais benefícios trazidos pelo investimento em diversidade. Mas quais os diferenciais de empresas que se preocupam com a diversidade cognitiva? Por meio dessa estratégia, há a possibilidade de trazer discussões saudáveis para o amadurecimento da empresa. Quando há choques de ideias e um debate com boas argumentações de ambos os lados, é possível que essa prática resulte em algo novo para a organização, o que gera diferencial competitivo.

Conforme vimos, um dos grandes destaques da diversidade é a possibilidade de inovar. Porém, isso só é possível quando há espaço para isso no negócio, investimento em transformações por parte das equipes, além de buscar por pessoas no time que apresentarão contrapontos para as ideias propostas.

Para isso, um importante passo que a empresa pode dar é trazer mudanças para os processos de recrutamento e seleção. Em um processo tradicional, se analisa principalmente currículo e fit cultural. Ambos são essenciais para a retenção de talentos e para trazer pessoas que se engajem com as suas funções.

Porém, também é indicado criar ações que permitam avaliar o pensamento analítico das pessoas, a capacidade de síntese, bem como o pensamento estratégico. A partir disso, a empresa poderá ter insights muito importantes para a contratação de novos profissionais.

A seguir, selecionamos outros benefícios para as organizações de se investir em diversidade cognitiva. Confira!

Engajamento de colaboradores

De acordo com um estudo realizado pela Gallup, apenas 27% dos profissionais brasileiros são ativamente engajados, enquanto 12% são ativamente desengajados — ou seja, desestimulam colegas de time. Nesse sentido, é papel das empresas traçar estratégias que tragam melhorias para o cenário de seu negócio, pois o engajamento traz reflexos diretos para a produtividade e resultados da organização.

Segundo um outro levantamento realizado pela Delloite, a diversidade é uma importante ferramenta de engajamento para as novas gerações. Afinal, todas as ideias e opiniões dadas pela equipe serão bem-vindas, sem distinção.

Pessoas motivadas a resolverem problemas da empresa

Outro ponto essencial para o sucesso de um negócio está relacionado à satisfação dos clientes. Para chegar a esse resultado, existe a necessidade de as pessoas do time trabalharem continuamente por novas soluções, além de oferecer um atendimento de qualidade.

Todos esses pontos são impactados positivamente com a diversidade cognitiva, pois as pessoas se preocuparão em questionar os processos do negócio e a resolver gargalos que prejudicam a experiência tanto de profissionais quanto dos clientes.

Quais os desafios de implementar a diversidade cognitiva na empresa?

A seguir, selecionamos alguns dos principais desafios que devem ser superados no momento de implementar a diversidade cognitiva nas empresas. Confira!

Surgimento de conflitos

Diversidade contribui para a redução de conflitos. É o que mostra uma pesquisa elaborada pela Harvard. De acordo com o levantamento, além de 17% das pessoas se sentirem mais motivadas, conflitos são reduzidos em até 50%.

Nesse sentido, como o surgimento de conflitos poderia ser um problema da diversidade cognitiva? Conforme vimos, essa é uma estratégia que estimula o debate dentro das empresas. Por essa razão, é papel das lideranças e do RH entender até que ponto a discussão é de fato sadia e até em que momento começa a ultrapassar os limites, criando tensão.

Estímulo aos profissionais trazerem seus pontos de vista

Justamente por isso, alguns profissionais podem se sentir acanhados em trazerem seus pontos de vista diversos, o que tornaria as discussões dos times rasas e sem propostas de melhorias para o trabalho executado.

Nesse cenário, a cultura da empresa como um todo deve ser transformada, de modo que haja um estímulo para que diferentes pessoas tragam suas percepções diversas e busquem continuamente por aprendizados e novas soluções.

Como as lideranças podem contribuir para a diversidade cognitiva nas empresas?

Lideranças cumprem um papel fundamental quando abordamos sobre os mais diversos temas dentro das empresas. No caso da diversidade cognitiva, não é diferente. A seguir, selecionamos alguns pontos que ela poderá auxiliar nesse processo.

Identificar perfis que podem agregar

Em muitas empresas, as lideranças têm atuação direta no processo seletivo junto ao RH. Afinal, são elas que entendem de forma mais detalhada o perfil de pessoas que se encaixam no time, bem como as atribuições que seriam essenciais para uma vaga (apesar de a questão técnica ter deixado de ser uma das prioridades nos últimos anos).

Por essa razão, aliada aos Recursos Humanos, elas devem estimular dinâmicas para identificar profissionais que seriam continuamente agregadores de bons debates, sendo esse um dos requisitos dos processos de recrutamento.

Estar aberta aos debates

De nada adianta contar com uma equipe que traz propostas distintas e pontos de vista contrários se as lideranças não estão abertas ao debate. Por essa razão, é papel do RH fortalecer o trabalho e ações de desenvolvimento dessas profissionais, de modo que elas entendam quando a discussão é positiva e possa estimular as pessoas a trazerem outras percepções.

Utilizar as reuniões como aliadas

Reuniões são essenciais para o bom andamento das tarefas e atividades. Portanto, lideranças podem utilizá-las como aliadas de diferentes formas:

  • propor dinâmicas diferentes, nas quais outras pessoas também tenham a oportunidade de conduzir aquelas conversas;
  • estimular continuamente argumentos contrários às ideias sugeridas;
  • estabelecer novas regras de comunicação para esses encontros;
  • estabelecer um dia em que a reunião será apenas para que as pessoas possam trazer feedbacks e possíveis soluções para os pontos identificados, entre outros pontos.

Além disso, a gestão da empresa como um todo deve sempre prezar pela transparência, de modo que toda a equipe entenda as estratégias adotadas pelo time e quais são os resultados almejados a curto, médio e longo prazo.

Neste conteúdo, você pôde entender sobre a importância da diversidade nas empresas, sobre o significado de diversidade cognitiva, além de dicas de como implementá-la. Conforme vimos, esse é um diferencial que deve ser considerado pelas empresas: além de trazer resultados melhores, contribui para gerar competitividade no mercado.

Para se aprofundar sobre o tema, selecionamos outro material que traz as diferenças existentes entre diversidade e inclusão. Continue no blog e tire suas dúvidas!