fbpx

Diversidade geracional: o que é e por que é importante

Renan Araújo

diversidade geracional

Diversidade nas empresas traz ganhos para os resultados das organizações e também para atrair mais talentos para o time. Entre os tipos existentes, destacamos a cultural, étnica, de crenças, de classes sociais, de gênero, de orientação sexual e necessidades especiais. Também destacamos a diversidade geracional, uma vez que ela contribui de forma significativa para trazer perfis diferentes para a empresa que culminarão em debates construtivos para as diferentes áreas.

Pensando nisso, elaboramos este material para que você entenda o que é a diversidade geracional, quais são as vantagens de investir nela e quais são as dicas para a gestão dessas pessoas. Continue a leitura e saiba mais!

O que é diversidade geracional?

Diversidade geracional ocorre quando a sua empresa contrata pessoas independentemente da idade, baseada apenas em suas competências técnicas e comportamentais. 

Muitas vezes, ocorre a confusão de que o recrutamento e seleção vai priorizar um seleto grupo de pessoas, apenas com idade “x”. Porém, a realidade é a de justamente não utilizar esse critério no momento de selecionar profissionais para as entrevistas, uma vez que a equipe vai considerar pensamentos distintos, culturas, ideias e gerações opostas.

Em um processo de seleção, o ideal é que tanto a empresa quanto o futuro colaborador se sintam satisfeitos com a parceria. Justamente por isso que a entrevista de fit cultural é importante — a partir dela, tanto o candidato quanto a empresa podem analisar se os valores e propósitos de ambos se alinham, o que contribuirá para a retenção de talentos da organização.

Quais as vantagens de investir em diversidade geracional?

A seguir, selecionamos algumas das principais vantagens de investir na diversidade geracional. Confira!

Maior troca de feedbacks

Feedback é o processo no qual uma pessoa contribui para que a outra possa se desenvolver de acordo com suas percepções, positivas ou negativas. Quando há diversidade geracional, naturalmente essa troca tende a aumentar, uma vez que envolve pessoas de diferentes níveis de experiência, narrativas e vivências.

Nesse caso, o embasamento dos feedbacks será mais apurado, o que permite o crescimento de colaboradores e o consequente crescimento da empresa (com resultados mais significativos).

Mais engajamento e produtividade

Quando há mais trocas de feedbacks e debates mais aprofundados sobre os temas relacionados à sua empresa, vai haver maior engajamento para buscar por inovação para as suas funções. Afinal, as pessoas obterão insights de diferentes grupos sobre o andamento de seu trabalho, permitindo aperfeiçoar pontos que deixam a desejar e potencializar aqueles que se destacam.

Melhorias para o clima organizacional

Clima organizacional é a percepção de colaboradores e colaboradoras em relação às políticas, práticas e processos da empresa.

Quando há pessoas diversas no time de trabalho, além de esse ser um ponto observado por grande parte das pessoas antes de passar pelo processo de recrutamento e seleção (cerca de 67%, de acordo com um estudo feito pela Glassdor), há discussões mais saudáveis e retornos genuínos sobre o trabalho dos colegas, com o objetivo contínuo de implementar melhorias. Nesse sentido, o clima organizacional tende a se tornar positivo.

Inclusive, para quem deseja obter um diagnóstico de como está o clima da organização, é preciso aplicar a pesquisa de clima, que trará insights relevantes para as lideranças tomarem decisões sobre estratégias mais urgentes.

Como ocorre a divisão das gerações?

Hoje, a divisão das gerações ocorre da seguinte maneira.

1. Baby Boomers (1946-1964)

Essas pessoas são nascidas após o término da Segunda Guerra Mundial, em um momento em que o mundo passava por prosperidade. Devido à estabilidade econômica vivenciada por grande parte dos países, ocorreu alta de natalidade, o que causou um “boom” populacional — origem do nome da geração.

Tal geração é considerada uma das que mais vivenciaram acontecimentos políticos marcantes, bem como situações que ficaram para a história (luta pelos direitos civis, ditaduras latino-americanas, visita do primeiro homem à lua etc.).

2. Geração X (1965-1979)

Aqui, houve uma revolução social, principalmente em grandes centros urbanos. Aspectos que antes eram considerados inadmissíveis até mesmo perante a Lei (como o divórcio), apesar de ainda enfrentarem muitos preconceitos, passaram a ocorrer com mais facilidade.

Esse também foi um período em que havia algumas novidades tecnológicas, como o videocassete, videogame etc.

3. Geração Y (1980-2000)

Certamente você já ouviu falar sobre a geração Y e suas expectativas em relação às empresas onde trabalham. Esses são os Millennials.

Segundo estudos, até 2025 eles ocuparão cerca de 75% da força de trabalho mundial. Nesse sentido, existe a necessidade de entender como eles trabalham, quais são as considerações mais importantes que eles fazem sobre o dia a dia das demandas e como retê-los — bem como traçar estratégias para uma boa parceria com outras gerações, fato que trará a diversidade geracional para a sua empresa.

Qual a diferença dessas gerações no campo organizacional?

Para promover a diversidade geracional, é preciso conhecer as características de cada uma dessas gerações no campo organizacional e os desafios enfrentados:

  • Geração Y — sonham alto, são empreendedores e fãs dos feedbacks. No momento de escolher por uma empresa, foca bastante em seu propósito e nos valores pessoais, uma vez que entende que ele enquanto pessoa também deve se agradar da organização pretendida;
  • Geração X — optam pela estabilidade, como a que ocorria na geração dos Baby Boomers. Não lidam muito bem com imediatismo e nem com impulsividade multidisciplinar;
  • Baby Boomers — o principal desafio será lidar com a transformação digital e com a quantidade de ferramentas que visam automatizar processos.

Como deve ser uma gestão de uma equipe com diversidade geracional?

Agora que você já sabe quais são as gerações da atualidade e o que é diversidade geracional, chegou o momento de entendermos como deve ser essa gestão.

Prática de one-on-ones

One-on-ones são reuniões periódicas entre líderes, liderados e lideradas. Por meio delas, a gestão tem a oportunidade de melhorar o borbulhamento de informações (de baixo para cima), além de identificar os desafios e analisar os projetos aos quais a pessoa está submetida.

Nesses encontros, lideranças podem entender de forma mais alinhada quais são as expectativas de diferentes pessoas em relação às suas funções, se existe algum tipo de conflito entre a equipe, além de dar e receber feedbacks sobre o papel enquanto líder.

Trabalho da conscientização

Independentemente de qual seja o tipo de diversidade, é preciso trabalhar a conscientização da equipe como um todo. Além disso, é preciso contar com uma política de diversidade para punir casos em específicos quando houver discriminação, independentemente de qual seja o nível.

Comunicação alinhada

A comunicação deve ser alinhada para que diferentes perfis entendam a mensagem transmitida. De nada adianta contar com uma gestão transparente se os dados apresentados não são entendíveis.

Motivadores de cada geração

Sabemos sobre a importância da motivação para as equipes. Quando ela ocorre, naturalmente há mais produtividade de todo o time, além de reduzir a taxa de turnover e de absenteísmo. Porém, diferentes gerações terão motivadores diferentes.

Nesse sentido, o ideal é entender quais são eles, como impactam no desempenho das pessoas e quais são os benefícios melhor se enquadram para cada profissional.

Canais de divulgação de vaga

Se a equipe almeja a diversidade geracional, naturalmente deve buscar canais ideais em que cada geração está presente. Da mesma forma que no Marketing há uma busca por leads qualificados, o RH deve entender sobre as plataformas onde o seu público almejado está presente, de modo que todas as pessoas, independentemente de idade, gênero, classe social e outros tipos de diversidade possam tomar conhecimento das oportunidades disponíveis.

Neste conteúdo, você pôde entender o que é diversidade geracional, qual é a importância de se investir e dicas para uma gestão de equipes como essa. Conforme sabemos, é importante contar com um bom planejamento para a contratação dessas pessoas, além de estar atento continuamente ao perfil de cada profissional. Dessa forma, além de usufruir dos ganhos apresentados neste material, também terá uma maior retenção de talentos, reduzindo custos e aprimorando processos do negócio.

Ao longo do conteúdo, mencionamos sobre diversidade e inclusão. E você, sabe qual é a diferença existente entre os termos? Para tirar suas dúvidas, continue no blog e acesse nosso outro material!