Qulture.Rocks se junta ao UOL EdTech. Saiba mais

Orçamento para treinamento: 5 dicas para não errar em sua empresa!

Qulture.Rocks

Controle de turnover - Mão apontando para a tela de um notebook

Investir em capacitação de pessoas tem sido uma das estratégias mais efetivas nas organizações e seus benefícios vão desde a melhora no clima organizacional até o aumento da competitividade de mercado. Mas para que essa estratégia funcione de forma sustentável, um bom planejamento deve ser a grande prioridade.

O planejamento orçamentário, por sua vez, é uma das etapas mais importantes desse processo. Afinal, através dele, as lideranças conseguem calcular as entradas e saídas de verbas em Treinamento & Desenvolvimento, quais foram os gastos estimados e alcançados para a área, quais são os saldos disponíveis para a realização de novos treinamentos, contratação de profissionais e adoção de ferramentas etc. 

Além disso, o orçamento de um programa de T&D deve constar no planejamento orçamentário da empresa como um todo, bem como a divisão orçamentária por áreas do programa. 

Mas como organizar um orçamento para treinamentos corporativos de forma eficaz e sem erros? Neste conteúdo, daremos algumas dicas essenciais para adotar ou aprimorar esse processo em sua empresa. Acompanhe para saber mais!

Navegue pelo conteúdo:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

1. Defina os objetivos e necessidades

O primeiro passo para se estruturar um orçamento para T&D é ter clareza do que deve ser alcançado através dos treinamentos. O Levantamento de Necessidades de Treinamento, ou LNT, é o processo onde tudo começa: nele, as dificuldades, lacunas e oportunidades de crescimento do time são identificados e estruturados para a criação de treinamentos que agreguem conhecimento para as pessoas colaboradoras.

Se por exemplo, a sua equipe identificou, após a finalização de um ciclo de metas, que existe uma necessidade de treinamentos focados em atendimento ao público, o ideal é concentrar o investimento financeiro em treinamentos focados nessa necessidade.

Além disso, é essencial definir os objetivos a curto, médio e longo prazo, o que ajuda a criar uma maior previsibilidade dos gastos de cada treinamento.

2. Crie um Plano Anual de Treinamento

O Plano Anual de Treinamento — ou PAT — também deve ser priorizado em um orçamento de capacitação corporativa, pois com ele, é possível prever quais serão os treinamentos oferecidos pela organização ao longo do ano. 

Essa ferramenta é indispensável não somente no orçamento de treinamentos, mas em um programa de Treinamento & Desenvolvimento como um todo. Afinal, ele ajuda a prever quais são as ações a nível organizacional e de equipes a serem feitas, a constância de treinamentos, dentre outros aspectos relevantes. 

Banner Ebook Talent Science

Você também pode gostar destes conteúdos:
👉 Experiência de aprendizagem corporativa: entenda a importância
👉 Aprendizagem adaptativa: entenda a importância para as empresas
👉 Onboarding: entenda o que é, importância e dicas para elaborá-lo

3. Mapeie as principais despesas com treinamentos

Ter em mente quais são as principais despesas, gastos e investimentos com treinamentos corporativos também é um passo essencial para a efetividade de um orçamento de T&D.

Quantos e quais treinamentos serão feitos? Qual é a quantidade de pessoas colaboradoras alcançadas? Quais serão os professores do treinamento? Quais ferramentas são necessárias para potencializar o aprendizado da pessoa colaboradora? Quanto tempo da rotina da equipe será destinado para a capacitação? Essas podem ser algumas das perguntas-chave para ter acesso aos números gerais de despesas com o programa.

4. Estabeleça indicadores de efetividade

É importante que o orçamento de T&D também leve em consideração quais são os indicadores de efetividade de cada treinamento. Afinal, com esse acompanhamento, é possível identificar quais esforços devem ser dedicados a cada ação em um programa de T&D e quais gastos devem ser destinados a essas ações. 

Quando falamos de indicadores gerais de T&D, alguns dos principais indicadores para serem acompanhados são:

  • percepção das pessoas colaboradoras sobre os treinamentos;
  • pessoas colaboradoras alcançadas;
  • tempo médio de treinamento por pessoa;
  • média de avaliação do resultado;
  • taxa de abandono e/ou adesão.

Trazendo para o contexto de indicadores de efetividade, é importante analisar o cenário atual das equipes e da empresa como um todo e levantar indicadores específicos focados no sucesso da organização.

5. Tenha previsão dos riscos e ameaças

Riscos e ameaças podem acontecer em qualquer planejamento, e levar isso em consideração na estruturação de um orçamento para treinamentos é muito importante, pois permite que o orçamento tenha maior flexibilidade. 

Gastos com ferramentas novas, readequação ou refação de treinamentos, baixa adesão dos conteúdos e até mesmo o aumento da demanda por treinamentos são alguns dos imprevistos mais comuns e por isso, é relevante que o orçamento preveja um fundo de reservas ou outro método para compensação dos gastos.


Neste conteúdo, você aprendeu algumas das principais dicas para se estruturar um orçamento de treinamentos corporativos com qualidade. Com essas informações, podemos refletir sobre como a etapa de orçamento é importante não apenas para a gestão de gastos com a área, mas também para proporcionar uma melhor experiência de aprendizagem para as pessoas colaboradoras, com os objetivos, indicadores e etapas bem definidas.

Se você gostou deste conteúdo e quer saber mais sobre o assunto de Treinamento & Desenvolvimento, separamos um conteúdo completo com tudo que você precisa saber sobre o tema. Para saber mais, continue em nosso blog!