Qulture.Rocks se junta ao UOL EdTech. Saiba mais

Gestão de pessoas e dados: entenda a importância dessa relação

Renan Araújo

gestão de pessoas e dados

Gestão de pessoas e dados: essa correlação tem se tornado cada vez mais comum no setor. Primeiro, antes de entrarmos nesse tópico, é importante recapitularmos sobre o que é o People Analytics. Definir esse conceito é simples: usar insights estatísticos de dados de colaboradores e colaboradoras para tomar decisões relacionadas a pessoas e ao negócio.

A nossa experiência ao conversar com quase 1000 empresas inovadoras em todo o Brasil confirma a importância de que um dos maiores desafios da área de Recursos Humanos é tomar decisões mais acertadas e baseadas em dados e fatos. Para isso, indiscutivelmente devemos utilizar mais ferramentas de People Analytics.

Neste conteúdo, a gente explica mais detalhes sobre o tema e ressalta como isso pode contribuir para o seu negócio. Entenda!

Navegue pelo conteúdo:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Gestão de pessoas e dados: quais são as aplicações do People Analytics?

Confira, inicialmente, algumas das aplicações do People Analytics:

  • Análise Descritiva — a pergunta-chave nesse tipo de análise é “o que aconteceu?”. Pode-se utilizar dados do passado e atuais.
  • Análise de Diagnóstico —  a pergunta-chave é “Por que isso aconteceu?”. Há a possibilidade de identificar componentes que levam ao sucesso ou ao insucesso em diferentes contextos.
  • Análise Preditiva — “O que pode acontecer?”. Essa pergunta-chave será útil para prever o que pode acontecer em um período próximo.
  • Análise Prescritiva — “O que pode acontecer se seguirmos esse caminho?”: levantar hipóteses sobre determinadas decisões.

Gestão de pessoas e dados: quais os diferenciais para a empresa?

A seguir, selecionamos alguns dos diferenciais de as empresas adotarem o uso de dados na área de Gestão de Pessoas/RH.

Redução de custos

A redução de custos por meio de uma análise efetiva de dados traz reduções de custos para a empresa comprovada por organizações. Segundo um artigo publicado pela Fast Company, a empresa Nielsen descobriu em suas análises que a cada 1% de turnover reduzido é possível evitar custos de até 5 milhões de dólares nos negócios.

Além disso, o mesmo levantamento identificou que a mobilidade interna entre as equipes pode ser considerada como um dos fatores mais importantes para a retenção de talentos.

Retenção de talentos

Por meio do uso de dados, há a oportunidade de identificar os gaps da empresa de acordo com as percepções de colaboradores e colaboradoras. A partir da pesquisa de clima, por exemplo, existe a possibilidade de entender quais são as dimensões mais preocupantes da empresa —  seja lideranças, seja benefícios, seja diversidade, existe a necessidade de identificar os gargalos e aplicar planos de ação a partir desses dados.

Por meio do diagnóstico, a área de RH tem a oportunidade de aplicar planos de ação e analisar se essas mudanças trouxeram impactos para o clima organizacional e esses impactos refletiram nos resultados da organização.

Contratações mais alinhadas

O uso de dados também pode contribuir para contratações mais alinhadas. Por meio de análises de informações de processos anteriores e até mesmo do atual quadro de colaboradores e colaboradoras, o setor pode entender qual é o perfil mais adequado para cada vaga que está em vacância.

Também há a possibilidade de trazer profissionais que estejam mais alinhados à Cultura Organizacional do negócio, de modo que traga impactos, novamente, para a taxa de retenção.

Mais qualidade de vida no trabalho

Como vai haver um melhor entendimento sobre a percepção de colaboradores e colaboradoras em relação às políticas, práticas e processos, a empresa pode melhorar a qualidade de vida no trabalho a partir desse diagnóstico.

Um estudo conduzido pela Gallup identificou que as melhores empresas para trabalhar têm a chance de ter o dobro de sucesso em relação a alguns tópicos específicos, como:

  • resultados financeiros mais atrativos;
  • maior satisfação dos clientes;
  • retenção da equipe;
  • redução do absenteísmo; entre outros.

Gestão de pessoas e dados: um panorama atual

Se a sua empresa acredita que o uso de dados na gestão de pessoas é uma tendência ou algo para um futuro próximo, está ficando para trás. De acordo com um levantamento feito pela InfoJobs, mais de 61% dos profissionais de RH entrevistados já tomam decisões baseadas em dados, o que contribui para que o setor se torne mais estratégico e efetivo: “mais ciência, menos achismos”.

Segundo esse mesmo levantamento, quase metade das empresas (48,1%) já utiliza a tecnologia com o objetivo de analisar indicadores de RH. Alguns parâmetros analisados, de acordo com o estudo, são:

  • aderência às contratações —  27,8%;
  • turnover —  15,2%;
  • aderência às vagas —  13,6%.

A pesquisa também trouxe alguns dos desafios em relação ao uso dos dados no RH, como:

  • ausência de especialistas —  25,5%;
  • falta de informações sobre o tema —  25,5%.

Já no que se refere às análises dos dados, os desafios são outros:

  • informações descentralizadas —  31,6%;
  • falta de tempo —  23,7%.

Neste conteúdo, você pôde entender um pouco mais sobre gestão de pessoas e dados. Como vimos, as informações descentralizadas são um problema para o setor. Por essa razão, é importante contar com um ferramenta que contribua para que todos os dados estejam em uma única solução, de modo que a empresa possa de forma prática e rápida obter insights e analisar a ciência por trás do capital humano de sua empresa.

Se você deseja saber um pouco mais sobre o assunto, entre em contato com a gente, converse com nossos profissionais e tire suas dúvidas!