fbpx

Empresa Top Employer: quais aprendizados tirar dessas organizações?

Renan Araújo

top-employer

Top Employers Institute é uma empresa que tem grande reconhecimento nas práticas de gestão de pessoas. Anualmente, elaboram a Pesquisa de Melhores Práticas de RH, conhecida como Top Employer. Hoje, mais de 1600 empresas foram certificadas como Top Employer ao redor do mundo – e elas têm muito a ensinar.

Pensando nisso, trouxemos alguns aprendizados de empresas que ganharam esse certificado no ano de 2020, período que ficou marcado pelos desafios enfrentados pela pandemia da Covid-19. Continue a leitura e saiba mais!

Preocupação com o clima organizacional

Clima organizacional é a percepção de profissionais do negócio em relação às políticas, práticas e processos da empresa. Ao adotar uma pesquisa de clima, a organização terá o diagnóstico desse clima em mãos. A partir disso, existe a necessidade de traçar estratégias relevantes e analisar se:

  • As estratégias trouxeram melhorias para o clima organizacional.
  • Se essas melhorias trouxeram impactos positivos para os resultados do negócio.

E a Volkswagen do Brasil entende bem essa importância. Mesmo com os desafios da pandemia da Covid-19, a empresa esteve atenta com a percepção de seus colaboradores, conseguindo até mesmo um marco: o índice de participação na pesquisa foi de 97%, enquanto o de satisfação girou em torno de 87,3%.

A empresa também prezou pela segurança de seus profissionais, mantendo alguns rituais de forma completamente digital — a apresentação de um novo veículo, por exemplo. Além disso, fez celebrações virtuais de projetos desenvolvidos ao longo do ano, bem como comemorou o aniversário de um de seus principais produtos.

Feedback

Empresas top employers também estão atentas em implementar a cultura de feedback. É um processo no qual a pessoa contribui para que a outra possa se desenvolver por meio de suas próprias percepções. Entre os ganhos que isso traz, a possibilidade de alterar os projetos para se adequar à estratégia pode ser considerado como um dos principais. Além de aumentar a motivação das pessoas, possibilitará que a empresa possa se desenvolver mais.

Na Bat Brasil, entre os principais programas adotados, ter conversas de feedback, de desenvolvimento de carreira e de relacionamento são alguns deles. Além disso, há a preocupação da equipe em liderar e antecipar mudanças, a lidar com ambiguidades, além de ter uma cultura organizacional sólida e baseada em 5 pilares:

  • coragem;
  • empoderamento;
  • rapidez;
  • diversidade;
  • responsabilidade.

Desenvolvimento de lideranças

Lideranças são as peças-chave para liderados e lideradas. De acordo com um levantamento realizado pela consultoria de recrutamento Michael Page, 8 em cada 10 profissionais pedem demissão por causa de sua gestão. Algo preocupante, uma vez que as lideranças devem atuar em parceria com a sua equipe, oferecendo feedbacks e auxiliando em seu crescimento.

Por essa razão, investir no desenvolvimento da gestão deve ser uma das prioridades para as empresas. A Bat Brasil também está atenta a isso. Realiza programa de desenvolvimento para líderes, valoriza os talentos e estimula a potencializar os pontos positivos dos profissionais, uma vez que trará retorno para a empresa no futuro.

Trabalho remoto

Conforme sabemos, adotar pelo trabalho remoto foi uma das primeiras estratégias adotadas pelas empresas quando os casos de Covid no Brasil começaram a se proliferar. Tanto para atender aos decretos municipais e estaduais quanto para proteger seus colaboradores, foi necessário adaptar processos e auxiliar colaboradores para prosseguirem efetuando suas atividades com produtividade e motivação.

No caso do Banco Pan, logo no início da pandemia, 100% de seus profissionais começaram a trabalhar de casa. De acordo com a empresa, não houve nenhuma perda de produtividade. Além disso, a equipe manteve a preocupação com as pessoas do time, com psicoterapia online e telemedicina. Em nenhum momento aderiu ao programa de demissão, redução de salários ou de jornada. Por fim, os programas de desenvolvimento foram adaptados para o formato digital.

Já o Bradesco se destacou como uma das únicas empresas do segmento a adotar o home office. E a experiência foi tão bem-sucedida que levou a organização a realizar um acordo com o movimento sindical bancário para que prosseguisse com essa atuação, mesmo depois da pandemia. Houve, ainda, o cuidado do Comitê de Riscos da Organização quanto ao avanço da doença e a atenção aos profissionais, além de adotar planos de gestão de crise e de continuidade de negócios.

Treinamentos de profissionais

Entre as vantagens de adotar pelo treinamento de profissionais, destaca-se o aumento do engajamento, da satisfação das pessoas, além da redução da taxa de turnover e do absenteísmo. O Bradesco, nesse sentido, se preocupou em oferecer treinamentos que vão além da sala de aula.

Para isso, foram feitas parcerias com universidades nacionais e internacionais, de modo que as pessoas do time pudessem se atualizar por meio de pós-graduação, MBA e preparatórios para certificação. A empresa também leva aprendizado para a sua equipe por meio da parceria com a Unibrad.

Engajamento

De acordo com um estudo da Gallup, apenas 27% dos profissionais brasileiros são ativamente engajados, enquanto 12% são ativamente desengajados (ou seja, desestimulam seus colegas). A Boerhinger Ingelheim Brasil se preocupa com a questão, o que a fez ser considerada uma empresa top employer.

Segundo os executivos do negócio, para manter o engajamento e a motivação em períodos incertos como o nosso, é necessário contar com bases sólidas. A organização optou pelo trabalho híbrido (equilíbrio entre o home office e o presencial), adaptando as rotinas conforme havia mudança no cenário nacional.

Também se preocupou com a saúde da equipe, oferecendo condições adequadas de trabalho em casa para manter a produtividade. Continuamente, realizava reuniões virtuais com as pessoas com assuntos diversos (além do dia a dia de trabalho), de modo que estimulassem os profissionais com assuntos como mindfulness, saúde emocional, finanças e gastronomia.

Onboarding

Adotar práticas de onboarding contribui significativamente para que as novas pessoas de seu time atinjam o máximo de sua produtividade em um curto espaço de tempo. Na Delloite, existe essa preocupação desde as primeiras interações da pessoa com a empresa. Há um time de onboarding para auxiliar o colaborador em seus seis primeiros meses, trazendo mais leveza para esse período inicial (que é um momento de muitas informações ao colaborador).

Na Intranet da empresa, ainda há uma página exclusiva com o mapa para que a pessoa confira todas as informações que ela precisa saber em seu período inicial, desde o dia 1 até completar 6 meses. Mesmo remotamente, toda a experiência é acompanhada de perto por colaboradores, mantendo a proximidade e o cuidado necessário com as pessoas recém-chegadas.

Neste conteúdo, você pôde entender um pouco mais sobre algumas práticas comuns nas empresas consideradas Top Employer. Conforme vimos, o cuidado com o profissional e as estratégias de gestão de desempenho estão entre as prioridades da equipe. Portanto, o ideal é entender a realidade de seu negócio, além de adotar as ações que melhor se encaixam para a cultura de sua empresa.

Ao longo do material, mencionamos sobre a cultura de feedbacks. Se você deseja saber um pouco mais sobre o assunto, continue no blog e confira outro material sobre o tema!