fbpx

Entenda o que é o e-leadership e quais seus diferenciais

Renan Araújo

E-leadership

Em 2020, com a proliferação da Covid-19 em todo o mundo, empresas dos mais variados segmentos precisaram se adaptar pelo trabalho remoto. Nesse sentido, a tecnologia se tornou cada vez mais presente no dia a dia das gestões, no contato das lideranças com o seu o time, além de ser a principal ferramenta para manter a comunicação alinhada. Devido a todo esse panorama, muito tem se falado sobre a importância do e-leadership, uma nova forma de liderar.

Até pouco tempo atrás, esse era um conceito pouco usual entre as organizações. Hoje, se torna essencial para que as empresas se mantenham competitivas no mercado e garantam a motivação de seus membros.

Pensando nisso, elaboramos este material para que você entenda o que é o e-leadership, quais são as características que ele tem, entre outras informações relevantes. Continue a leitura e saiba mais!

O que é e-leadership?

Primeiro, vamos ao significado desse conceito. Trata-se de um novo modelo de liderança, no qual a gestão se preocupa em ajudar a geração millennial a potencializar suas competências. Até 2025, essa geração (compreendida entre os nascidos nos anos 1980 a 2000) vai representar cerca de 75% da força de trabalho mundial. Por essa razão, é preciso entender como essas pessoas trabalham e o que elas buscam nas empresas.

Entre as características que se destacam, o espírito empreendedor é um dos mais marcantes. Eles sonham alto e aspiram cargos de liderança. Visando alcançar esse objetivo, buscam por ferramentas e práticas que contribuam nesse sentido (a cultura de feedbacks e o apoio de suas lideranças, por exemplo).

O e-leadership vem justamente para identificar o conhecimento dessa geração, aproveitá-los para as necessidades da empresa e maximizá-los.

Quais são as características do e-leadership?

Agora que você já sabe o que é e-leadership e qual a sua relação com os millennials, chegou o momento de apresentarmos algumas de suas principais características. Veja!

Menos hierarquia

A primeira delas é a redução da hierarquia. Excesso de autoridade não combina com essa geração, pois há o desejo de serem mais colaborativos e participativos com as decisões das empresas, em trazer inovação para os processos, além de serem mais auto gerenciáveis.

O que é um ponto positivo para o negócio: de acordo com a consultoria Booz Allen, essa geração representa cerca de 44% da população ativa economicamente desde 2016. Nesse sentido, eles se conectam mais com as necessidades que os clientes enfrentam, trazendo bons insights para que a empresa possa se destacar positivamente no mercado.

Por essa razão, o ideal é que as responsabilidades sejam divididas — e as lideranças devem incluir essas pessoas em projetos mais desafiadores e de forma autônoma.

Mais autonomia

Por falar em autonomia, essa é uma característica importante do e-leadership e muito valorizada por profissionais. De acordo com uma pesquisa feita pela Page Talent, 58% dos profissionais no Brasil tendem a executar melhor suas atividades quando agem de maneira independente em suas equipes.

Entre as principais vantagens que essa relação traz para a equipe, destacamos:

  • mais motivação no trabalho executado;
  • melhora a eficiência das demandas;
  • possibilidade de as pessoas desenvolverem novas habilidades;
  • atração de talentos para os times;
  • aumento da responsabilidade entre as equipes.

Para isso, é preciso depositar confiança no time, sentir-se aberto para experimentar novos acordos e acreditar nas soluções trazidas pelos profissionais, além de intervir quando é identificado que há uma má decisão por parte dos colaboradores.

No vídeo a seguir, confira um Tedx elaborado pelo consultor Alexandre Pellaes, é feita uma reflexão sobre o novo mundo de trabalho, no qual o profissional aborda sobre as relações tradicionais hierárquicas e como a autonomia tem se tornado a palavra-chave para o propósito nas equipes.

Afinidade com novas tecnologias

No início do material, fizemos uma relação do e-leadership com o cenário atual. Devido a um contexto de trabalho remoto, foi necessário inserir novas tecnologias para que as atividades e demandas pudessem ser executadas com a mesma qualidade do que no escritório, independentemente do local de atuação do profissional.

Porém, o e-leadership precisa ter mais do que afinidade para as novas soluções. Existe a necessidade que esteja aberto às tendências do mercado, que incentive o time a buscar por ferramentas que auxiliem no dia a dia e torne a área mais estratégica, além de abraçar essas mudanças com mais naturalidade.

Coragem para inovar

Esse ponto, inclusive, está diretamente ligado ao tópico anterior. Devemos levar em consideração que os millennials são mais “inquietos”. Ou seja, buscam por inovação para executar as suas funções com mais qualidade. Porém, as lideranças precisam oferecer essa abertura para o time.

E é preciso ir além: mais do que confiar em ideias disruptivas e apoiar, existe a necessidade de ter coragem para colocá-las em prática. Para isso, profissionais devem ser estimulados a entenderem quais os ganhos daquelas soluções, quais foram os pontos de aprendizagem e o que pode ser potencializado para as estratégias do time.

Quais são as vantagens do e-leadership para as empresas?

Entender quais são as vantagens do e-leadership para as empresas estimulará as lideranças a conhecer de perto esse modelo e a buscar as principais estratégias para adotá-los. Confira algumas delas:

  • contribui para a atração e retenção de talentos, reduzindo custos com desligamento e contratação de novos colaboradores;
  • possibilita o engajamento na força de trabalho — o que é um ganho para as empresas, tendo em vista que apenas 27% dos colaboradores no Brasil são ativamente engajados (de acordo com um estudo conduzido pela Gallup);
  • favorece uma cultura de aprendizagem na empresa;
  • permite que o negócio maximize os potenciais de seus principais talentos;
  • possibilita a cultura de inovação;
  • contribui para que novos métodos sejam testados e colocados em prática, melhorando processos no negócio.

Neste conteúdo, você pôde entender o que é e-leadership, quais são as suas características e benefícios. Conforme observamos, existe a necessidade de se adaptar não apenas ao novo cenário de trabalho, como também às atuais gerações. Dessa forma, aumentam as oportunidades de atrair talentos qualificados, além de garantir que a sua empresa tenha uma marca forte perante os profissionais.

Ao longo do material, mencionamos algumas boas práticas de lideranças. Se você deseja se aprofundar no assunto, continue no blog e confira um material completo sobre o tema!