fbpx

Conheça 4 erros comuns de uma liderança

Renan Araújo

erros-lideranca

Você conhece quais são os erros mais comuns cometidos pelas lideranças nas empresas? Sabemos sobre a importância do papel do líder para o dia a dia das organizações. De acordo com um estudo realizado pela consultoria Berson by Deloitte, que levou em consideração respostas de empresas de mais de 100 países, 89% consideram que a formação de líderes em uma equipe é importante ou muito importante.

Porém, apenas 13% declararam ser excelentes na geração de líderes globais, enquanto somente 7% afirmaram ser excelentes para a construção de jovens líderes. A gestão de qualidade ainda contribui para que as pessoas estejam mais satisfeitas em suas rotinas. Um estudo da Universidade da Califórnia demonstrou que profissionais motivados são 31% mais produtivos, 3 vezes mais criativos e vendem 37% mais que o restante do time.

Por essa razão, é importante estar por dentro de alguns dos erros de liderança para não cometê-los, garantindo assim o engajamento das pessoas e, consequentemente, sendo um fator importante para reduzir as taxas de turnover e de absenteísmo.

Neste material, a gente apresenta quais são eles. Confira!

1. Ser mais chefe do que líder

Conceitualmente, existe uma diferença entre chefe e líder? Não há nenhuma evidência acadêmica que comprove isso. Porém, no dia a dia, a gente reconhece algumas características que são associadas às de um chefe e outras que são associadas a de líderes.

Essas características estão voltadas basicamente para a forma como o poder é exercido. Existem, por exemplo, diversos estilos de liderança. Um deles é o comandante. Líderes comandantes utilizam com seus liderados e lideradas uma abordagem mais autocrática. Ou seja, aproveitam de sua posição para demonstrar poder.

Nesse caso, a gestão vai ter dificuldades em se afastar dos detalhes do dia a dia, promovendo um envolvimento de microgerenciamento. Isso torna a relação desgastante tanto para a gestão quanto para os profissionais.

Porém, nem sempre essa abordagem deixa de ser útil. Em casos nos quais o processo precisa ser seguido “ao pé da letra”, é importante uma abordagem nesse sentido, uma vez que envolva situações de alto risco e que dependem de decisões rápidas.

Com exceção desse contexto, o ideal é que ofereça mais autonomia para a equipe, contribua para o desenvolvimento das pessoas do time e ofereça constantemente feedbacks para que colaboradores e colaboradoras possam realizar desvios de rota para a execução de suas demandas.

2. Não explorar talentos individuais

Em uma equipe, é preciso ter o entendimento que cada pessoa conta com as suas particularidades, pontos positivos e tópicos que precisam de desenvolvimento. Se a liderança considera o time de forma única, sem levar em conta as individualidades, existem os riscos de perder oportunidades interessantes.

Por essa razão, recomendamos realizar com frequência a prática de one-on-ones. Tratam-se de reuniões periódicas entre líderes, liderados e lideradas cujo principal objetivo é dar voz ao colaborador(a) sobre os mais diversos temas, de acordo com as necessidades identificadas por ele(a).

Por meio dessa rotina, há a possibilidade de as lideranças entenderem pontos que a pessoa almeja desenvolver, conhece alguns dos desafios que ela enfrenta no dia a dia, além de ser uma possibilidade de as informações partirem das próprias profissionais, o que permite medidas proativas em vez de reativas.

Além disso, é uma maneira de definir as prioridades de forma mais alinhada. Muitas vezes, a pessoa foca seus esforços para o que não vai trazer retorno imediato para as metas globais da organização. Nas one-on-one, é possível identificar quando isso ocorre, além de fornecer ao profissional a sensação de que ele é ouvido tanto no âmbito pessoal quanto no corporativo,

3. Ignorar metas

Seja qual for o nicho de atuação de seu negócio, as metas são importantes ferramentas para identificar o que deve ser feito para alcançar os objetivos do negócio. Nesse sentido, recomendamos sempre o uso da metodologia OKRs. Trata-se de um sistema de gestão por metas, no qual as metas individuais e coletivas vão convergir para as metas globais de um negócio.

Esse é um modelo transparente, cujos efeitos de foco e motivação de equipes contribuíram para que a metodologia fosse popularizada em todo o mundo. Além disso, é facilmente adaptada às necessidades e diferentes realidades, sendo alguns dos fatores que contribuem para a sua aceitação no mercado.

Conta com ciclos mais curtos, são mais flexíveis e permite que as próprias pessoas participem da construção por metas. Uma das boas práticas para implementar a metodologia de forma efetiva é a realização de reuniões de monitoramento de forma periódica. Assim, as chances de cometer o erro de ignorar as metas da organização reduzem consideravelmente, o que reflete de forma positiva nos resultados da empresa.

4. Ser indiferente aos problemas da equipe

Deve-se destacar que, nas one-on-one, a própria pessoa é quem elabora as suas pautas — e elas não estão restritas ao cenário profissional. Pelo contrário. A liderança tem a oportunidade de identificar questões pessoais que provavelmente atrapalham a produtividade do time, ou até mesmo fatores da própria empresa que refletem negativamente na condução das demandas.

Caso a gestão seja indiferente aos problemas individuais e do time, certamente vai haver uma quebra de confiança entre profissionais e as lideranças. Por essa razão, especialmente em um contexto de trabalho remoto ou híbrido, é importante que o canal de comunicação esteja sempre aberto, tanto por meio das one-on-ones quanto nas ferramentas do dia a dia.

Isso contribui para trazer mais transparência e para que nenhuma questão importante levantada pelo time seja ignorada, além de garantir que a gestão entenda os desafios e possa propor soluções antes de isso culminar em consequências negativas — a saída da pessoa da empresa ou o desgaste no relacionamento do time como um todo, o que prejudicaria o clima organizacional.

Neste conteúdo, você pôde conhecer alguns dos erros cometidos pelas lideranças que devem ser evitados. Para que a gestão tenha um entendimento de como está o seu papel na equipe e de quais são os pontos que precisam ser aperfeiçoados, recomendamos ainda contar com a tecnologia como uma importante aliada nesse sentido.

Dessa forma, vai centralizar as informações das pessoas lideradas, além de garantir um retorno mais efetivo por parte do time em relação ao seu desempenho nos mais diversos aspectos da experiência.

Se você deseja saber um pouco mais sobre o assunto, entre em contato com a gente, converse com nossos profissionais e conheça nosso produto de liderança!