Qulture.Rocks se junta ao UOL EdTech. Saiba mais

Políticas de RH: entenda o que são e conheça as principais

Qulture.Rocks

Políticas de RH - Dois homens conversando no trabalho

Para uma boa organização da empresa, é importante que as pessoas tenham clareza sobre as políticas de RH do negócio. As pessoas têm conhecimento sobre o que é e o que não é permitido na realidade do negócio? Conhecem sobre o que é preciso ser feito para serem promovidas, entendem as regras de movimentações internas e sabem o que é necessário para indicar um amigo ou colega para determinada vaga?

Se as respostas forem negativas, é um sinal de que é necessário rever ou até mesmo criar suas políticas. Por meio delas, a organização tem a oportunidade de tomar decisões mais coerentes e justas com todos(as), além de garantir que os valores e a cultura serão levados em conta em diferentes contextos.

Neste conteúdo, a gente explica um pouco mais sobre o tema. Continue a leitura e saiba mais!

Navegue pelo conteúdo:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

O que é a política de RH em uma empresa?

Políticas de RH de uma empresa podem ser definidas como um conjunto de normas internas que contribuem para um melhor direcionamento de colaboradores e colaboradoras, além de garantir um melhor alinhamento quanto aos objetivos da empresa.

Por meio dessas políticas, práticas relacionadas aos processos de recrutamento e seleção são definidas, são elaboradas regras e normas de conduta que se alinham à cultura do negócio, além de garantir que todas as pessoas tenham conhecimento sobre os processos do negócio, como política de remuneração, de benefícios etc.

Qual a diferença entre políticas de RH e a visão e valores da empresa?

Primeiro, vamos dar um passo atrás. O que são valores? De acordo com o dicionário Cambridge, pode ser definido como ”Principles or standards of behavior; one’s judgement of what is important in life”. Traduzindo de forma literal, temos “Princípios ou padrões de comportamento; o julgamento de alguém sobre o que é importante na vida”.

Ou seja, os valores são fundamentos, crenças e princípios tidos como verdade por pessoas de um mesmo grupo. Eles determinam a forma com que as pessoas pensam, agem e sentem. Porém, deve-se destacar que empresas não têm valores. As pessoas os têm. Na realidade organizacional, os valores compartilhados de um grupo se desenvolvem, normalmente, a partir das pessoas mais influentes, que tendem a ser fundadoras ou líderes.

As políticas de RH são um apoio para que esses valores sejam entendidos e seguidos por parte da empresa, independentemente do cargo ocupado pelo(a) colaborador(a) ou da área que ele(a) esteja. Além, claro, de padronizar diferentes processos do setor, desde o momento que a pessoa se candidata a uma vaga até à sua entrevista de desligamento.

Quais são as políticas de RH mais comuns?

A seguir, selecionamos ainda algumas das políticas de RH mais comuns por parte das empresas. Entenda!

Recrutamento e seleção

A jornada do colaborador na empresa começa pelo recrutamento e seleção. É por meio dele que a área de Recursos Humanos tem a oportunidade de trazer pessoas que tenham fit cultural com o negócio e que se alinhem com os valores e propósitos da empresa. Também é por meio do recrutamento e seleção que há a oportunidade de trazer pessoas que tenham competências técnicas e comportamentais para determinado cargo.

No caso da política de RH voltada para essa etapa, a empresa vai definir quais são os procedimentos mais comuns para a contratação de uma pessoa:

Banner Ebook Talent Science
  • etapas necessárias, quem participa;
  • quais são as áreas que realizam as diferentes entrevistas do processo;
  • quais são as estratégias para recrutar e as ferramentas que vai utilizar;
  • onde anuncia as vagas;
  • como é feito um engajamento interno para que as próprias pessoas colaboradoras divulguem as vagas, entre outros.

Sendo assim, a área de Recursos Humanos passa a ter um suporte sempre que uma pessoa gestora solicitar a abertura de uma vaga. É interessante até mesmo para quem vai fazer essa solicitação, pois pode acompanhar de perto a documentação e entender quais são os processos necessários até que um(a) novo(a) profissional chegue à empresa.

Treinamento e desenvolvimento

Se a sua empresa realiza treinamento com a equipe, também é importante que haja uma padronização nesse sentido. Inclusive, de acordo com um estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas, esse é um dos objetivos de grande parte dos profissionais de uma empresa. Segundo o levantamento, cerca de 51% das pessoas entrevistadas buscam diariamente por informações sobre a sua área de atuação.

Quando isso é feito por iniciativa de sua própria organização, os índices de satisfação aumentam consideravelmente, o que traz impactos para as taxas de turnover e absenteísmo (que serão mais baixas).

No entanto, para que os ganhos sejam usufruídos pelo negócio, é necessário que haja uma estruturação da empresa para que ela saiba:

  • quanto pode investir;
  • de que forma;
  • quem tem direito aos treinamentos;
  • quais são as prioridades;
  • como serão os cursos ministrados (online ou presencial);
  • qual é o horário de treinamento dos colaboradores, entre outros pontos.

Cargos e salários

Uma política de cargos e salários contribuirá tanto para a satisfação das pessoas colaboradoras quanto para a segurança da própria empresa em relação a esse ponto. Por meio dessa política, o negócio tem a oportunidade de estabelecer critérios para bonificação, qual é o período trabalhado em diferentes cargos, qual é a remuneração etc.

Nesse sentido, a pessoa passa a ter clareza sobre o que é preciso ser feito para que ela seja promovida, quais são os desafios de sua área e de seu cargo e em que ponto ela está.

Política de benefícios

Um estudo realizado pela Catho identificou que 40% das pessoas entrevistadas valorizam um pacote de benefícios atrativo. Que é um diferencial para a atração de talentos já sabemos. No entanto, existe a necessidade de ter clareza sobre o que é oferecido, quais são as possibilidades de investimentos e estabelecer um padrão para que todas as pessoas tenham acesso ao mesmo “pacote”.

Se existe essa padronização, consequentemente a negociação no momento de contratar fica mais fácil. A equipe de RH terá um discurso alinhado já na primeira entrevista, trazendo todos os diferenciais da organização e como aqueles ganhos poderiam ser usufruídos pelo(a) candidato(a).

Avaliação de desempenho

Avaliação de desempenho é o ápice de um processo bem estruturado de gestão de desempenho. Trata-se da avaliação estruturada e individual de uma pessoa colaboradora em determinado período de tempo, cujo principal objetivo é o de melhorar o desempenho da empresa por meio da melhora do desempenho das pessoas colaboradoras.

Para que a empresa tenha políticas de RH claras para esse processo, é essencial contar com o uso de uma ferramenta que auxiliaria o departamento nesse sentido. Por meio dela, há a oportunidade de:

  • preencher avaliações de forma justa e embasada, de modo que a gestão avalie um membro de sua empresa ao mesmo tempo em que visualiza informações importantes sobre a pessoa colaboradora (como feedbacks, OKRs, PDIs etc.);
  • criar uma avaliação 360 graus que seja adaptada às necessidades da empresa e também às políticas pré-estabelecidas;
  • acessar e baixar relatórios completos;
  • acompanhar o andamento das avaliações em tempo real.

Neste conteúdo, você pôde entender um pouco mais sobre as políticas de RH de um negócio, quais são as principais e a diferença dessas políticas para os valores da organização. Como vimos, esse tipo de estratégia contribui para promover mais alinhamento entre empresa e pessoa colaboradora, além de garantir que a cultura e os valores do negócio sejam seguidos de forma mais coerente.

Se você gostou deste material e deseja também conhecer um pouco mais sobre as políticas de home office, é só continuar no blog e acompanhar um outro conteúdo que produzimos sobre o tema.