fbpx

Segurança Psicológica: Como promover no seu time

Zé Vitor

Feedbacks

A segurança psicológica tornou-se algo essencial para as empresas, principalmente em um contexto que tanto se fala de estresse, ansiedade e depressão.

Em uma pesquisa do Google envolvendo mais de 200 colaboradores, membros de 180 times diferentes, e 35 modelos estatísticos rodados para analisar os dados levantados, a empresa descobriu um mix de características comuns dos melhores times, sendo uma delas a segurança psicológica.  A pesquisa foi batizada de projeto Aristóteles.

“A ideia de segurança psicológica é fazer com que as pessoas de uma equipe sintam que podem correr riscos interpessoais. São coisas simples como pedir ajuda, propor uma ideia ou reconhecer que não sabe algo. Mas se o ambiente pune demonstrações de vulnerabilidade, você inibe esse comportamento que é importante para o funcionamento de uma boa equipe”, explica o mestre em psicologia e coach Alan Pogrebinschi.

Parte disso envolve promover uma cultura na qual todos possam propor ideias, se arriscar, trocar feedbacks e demonstrar seus sentimentos sem medo de julgamentos ou represálias.


Segurança psicológica e o mundo do trabalho

Paul J. Zack, professor de ciências econômicas, psicologia e administração na Universidade de Claremont, explica como conduziu uma pesquisa para medir o nível de segurança psicológica de mais de mil trabalhadores e trabalhadoras nos Estados Unidos. 

Aqueles que acreditavam trabalhar em um ambiente altamente seguro eram 50% mais produtivos, 76% mais engajados e 50% mais propensos a permanecer na empresa.

No contexto do trabalho presencial, é muito mais fácil realizar uma leitura do time através da linguagem corporal, postura, leitura facial. Quem nunca foi abordado por algum colega com a pergunta: “Ei, você está bem? Quer conversar?”. No trabalho remoto perdemos grande parte desta leitura, e torna-se mais fácil mascarar um mal estar e desconforto.

O poeta inglês John Donne escreveu certa vez que “nenhum homem é uma ilha”. Ele não podia estar mais certo. Estamos todos conectados às pessoas e aos eventos ao nosso redor.

Temos sentimentos e percepções em relação ao mundo a todo tempo e nem sempre eles são positivos, inclusive (e, talvez, principalmente) no trabalho.

Emoções e segurança psicológica 

Por isso, precisamos de um jeito de lidar com nossas emoções no ambiente profissional construtivamente, porque se não lidarmos com elas, muito provavelmente elas vão afetar nosso bem-estar e paz de espírito.

Ignorá-las não é bom para as pessoas e nem para o negócio.

Para que isso aconteça, é preciso que líderes saibam como promover esse ambiente de segurança psicológica nas suas equipes. As pessoas do time devem ter um canal aberto e confortável para falar de qualquer problema com a liderança. Líderes, por sua vez, devem perguntar e notar constantemente se está tudo bem.

Quando a liderança falha nessa tarefa, frequentemente ocorre o chamado contágio emocional. Ou seja, sentimentos ruins se espalham pela equipe, derrubando motivação e produtividade. Esse fenômeno é tão forte que pode ocorrer indiretamente, via redes sociais ou comunicações assíncronas.

A partir do resultado de seus estudos no tema da cultural emocional, a professora Sigal Barsade, da Wharton Business School (UPenn), conclui que:

“Cultura emocional influencia a felicidade dos colaboradores, burnout, trabalho em equipe e até mesmo… performance financeira e absenteísmo… Emoções positivas estão… associadas a melhor performance, qualidade e serviço ao cliente – e isto é válido em todas as funções e setores e em vários níveis organizacionais. Por outro lado (com algumas exceções de curto prazo), emoções negativas como raiva, tristeza, medo e similares geralmente levam a resultados negativos, incluindo desempenho ruim e alto turnover”.

Segurança psicológica e bem-estar

Sendo assim, segurança psicológica no ambiente de trabalho começa com a preocupação com o bem-estar da equipe

É justamente para ajudar nessa tarefa que construímos o Pulse de Sentimentos da Qulture.Rocks, uma ferramenta que permite aos colaboradores compartilharem abertamente qual é o seu sentimento predominante de cada semana, do mais negativo ao mais positivo e suas justificativas.

Realizar um acompanhamento frequente dos sentimentos e puxar conversas contextualizadas de acordo com cada sentimento dos membros do time em reuniões 1:1s é uma excelente prática para começar este trabalho.


Gerenciando sentimentos na prática

De nada adianta o comprometimento de todo o time em responder as pesquisas semanais se nada for feito na prática com essas informações. Ninguém em sã consciência continuará investindo seu tempo para preencher essa coleta se sentir que não tem retorno.

Desta forma, é muito importante que, primeiro de tudo, líderes não terceirizem a função de mediar essas interações para o RH e que mantenham uma frequência definida de reuniões 1:1, para que este assunto seja tratado.

Sentimentos Negativos

Sentimentos negativos podem ter diversas causas, como problemas pessoais, familiares, financeiros, e também problemas no trabalho, sobrecarga de funções, falta de direcionamento, atrito com colegas, falta de reconhecimento, expectativas desalinhadas. Ou seja, são inúmeras as possibilidades.

Mesmo assim, é comum as pessoas não terem muito claro o motivo que as esteja deixando para baixo, portanto é muito importante iniciar a conversa com perguntas exploratórias que ajudem a entender a segurança psicológica no time, como por exemplo:

  • Alguma coisa no âmbito pessoal anda te preocupando?
  • Como está seu equilíbrio pessoal/profissional?
  • O que poderíamos melhorar no trabalho para melhorar sua vida pessoal?
  • Existe algo que esteja drenando muito sua energia?
  • Você mudaria algum processo do nosso time que não está sendo eficiente?
  • O meu acompanhamento como líder está sendo suficiente para você? Estou falhando em alguma coisa?
  • Como posso te ajudar a retirar as barreiras do seu trabalho?
  • O que não está funcionando bem aqui na empresa?
  • Como você se sente em relação ao time?
  • Você sente que suas idéias estão sendo ouvidas?
  • Me fale uma coisa que te faria curtir mais seu trabalho
  • Em que momento do dia você tem mais energia?
  • Em que momento do dia você tem mais concentração?
  • Como poderíamos mudar seu dia a dia de trabalho para potencializar esses momentos?

Após a conversa exploratória, o mais importante é ajudar a pessoa a pensar na estratégia para mudar o que esteja causando este sentimento negativo e montar planos de ação, já que uma das principais funções de uma líder é remover obstáculos à frente de seus liderados.

Sentimentos Positivos

Ao responder o Pulse o colaborador pode selecionar algumas opções justificando seu sentimento, e mesmo que você possa se bastar ao saber que o sentimento é positivo sem justificativa, há uma grande oportunidade em incentivar que sua liderada te conte o que a está deixando contente.

Ao abordar o sentimento positivo em uma reunião 1:1 você pode descobrir, por exemplo, que sua liderada está muito motivada com um projeto em específico, ou que está muito orgulhosa do engajamento do seu time, que ela conseguiu aprender algo em específico que tinha muita dificuldade antes, e assim por diante.

Desta forma, o líder pode aprender mais sobre sua liderada, o que mais gosta de fazer, descobrir coisas positivas que aconteceram no time para que possam ser reproduzidas mais vezes, ajudar na alocação em projetos, dentre tantas outras possibilidades.

Assim como o contágio emocional ocorre com emoções negativas, ele também ocorre com as positivas. Explorar sentimentos positivos, portanto, é uma ótima oportunidade para tentar levantar o moral do time. 

O que pode gerar insegurança dentro de uma equipe?

A seguir, selecionamos os principais pontos que podem gerar insegurança dentro de uma equipe. Confira!

Má gestão

Quando mencionamos sobre má gestão, estamos nos referindo a uma equipe que se preocupa unicamente com números, sem necessariamente entender como os colaboradores estão se sentindo no ambiente de trabalho.

Trazer metas desafiadoras para toda a equipe é essencial para o sucesso do negócio. No entanto, aliado a tudo isso, é preciso buscar pelo bem-estar de todos os profissionais, bem como entender sobre a sua satisfação em relação ao trabalho executado.

Falta de liderança

A liderança deve oferecer autonomia para seus liderados e lideradas. Porém, é preciso se fazer presente. Como isso é possível? Conforme explicamos, por meio de one-on-ones contínuos, de um acompanhamento das demandas e também de feedbacks mútuos entre gestores e colaboradores.

É necessário, ainda, conhecer as particularidades de cada pessoa, com o objetivo de oferecer um apoio conforme as suas necessidades. Por fim, nunca tenha medo de mostrar vulnerabilidade. Ao trazer para seus liderados(as) os seus anseios e desafios, eles se sentirão mais confiantes em também buscarem um auxílio quando encontrarem dificuldades.

Diálogo inexistente

Especialmente para empresas que adotaram o trabalho remoto com a pandemia da Covid-19 (e que permanecerão nesse modelo pelos próximos meses), o diálogo deve ser priorizado no dia a dia das equipes. Por essa razão, é recomendado que tenha reuniões periódicas entre os times e também entre toda a empresa, de modo que as lideranças possam trazer os updates sobre as suas áreas e apresentar os projetos elaborados para o período.

Quais são os aspectos da segurança psicológica?

A seguir, explicamos sobre os 4 aspectos da segurança psicológica que devem ser priorizados em uma equipe. Veja!

Segurança em se expressar

O primeiro deles é em trazer segurança para que as pessoas possam se expressar em seu time. Seja de assuntos que se relacionam com o trabalho do profissional (mencionar como foi a sua semana, por exemplo) até a trazer suas percepções sobre decisões da empresa, eles precisam se sentir seguros para trazerem seus pontos de vista.

Segurança em interagir

Interação não significa apenas ter um espaço aberto para o diálogo e para a descontração no dia a dia de trabalho. Significa também trazer suporte para que as pessoas tirem suas dúvidas, tragam seus desafios a outros times e se sintam engajadas em manterem uma conversa mais difícil com outros colegas ou até mesmo com suas lideranças.

Segurança em aprender

A empresa que oferece segurança para que o profissional possa aprender continuamente, certamente conta com diferencial competitivo. Para isso, não é necessário focar apenas em cursos pagos ou em trazer profissionais de outras organizações para ensinamentos.

Dentro de uma mesma equipe, por exemplo, colaboradores podem ter conhecimentos que seriam facilmente aplicados a outros times, contribuindo para uma capacitação constante na empresa.

Segurança em pertencer

Pertencer a uma equipe significa se sentir apoiado e valorizado, sem ter o receio de ser rejeitado ou prejudicado por quem quer que seja. Caso a pessoa tenha esses sentimentos positivos mencionados, consequentemente buscará mais inovação para o negócio, preocupando-se continuamente em alcançar o seu melhor.

Segurança psicológica é essencial para que conversas francas ocorram entre a liderança e o time. A partir destas conversas chega-se à causa raiz dos principais obstáculos que bloqueiam a vida da pessoa com dificuldades e que, portanto, estão lhe impedindo de ser a melhor versão de si mesmas, profissional e pessoalmente 

A melhor forma disso acontecer é através do monitoramento semanal dos sentimentos e 1:1s recorrentes (de preferência, quinzenais). Caso você não consiga, uma simples mensagem perguntando o que aconteceu pode bastar. Em tempos remotos, isso pode fazer toda a diferença.

Gostou deste material e deseja ficar por dentro de outras dicas e novidades como essas? Siga nossa página no LinkedIn e confira nossas publicações!