fbpx

O que é diversidade cultural nas empresas e qual é a sua importância?

Renan Araújo

Conforme sabemos, investir em diversidade nas empresas é essencial para garantir melhores resultados, além de ser um estímulo à inovação do negócio. Entre os tipos de diversidade existentes, a diversidade cultural merece atenção por parte da gestão.

Afinal, depois dos desafios enfrentados no ano de 2020, o trabalho remoto vem se tornando cada vez mais uma realidade para as organizações. Grande parte das marcas vêm o adotando de forma definitiva, enquanto outras optam pelo trabalho híbrido.

De acordo com um levantamento feito pela Workana, 96,7% dos profissionais afirmam que o home office será um diferencial no momento de buscar por uma empresa. Além disso, 94,2% deles querem continuar exercendo o trabalho remoto, mesmo depois da pandemia.

Independentemente da modalidade, o fato é que existe a possibilidade de contratar pessoas de qualquer lugar do país e do mundo. Por essa razão, existe a necessidade de promover ações que respeitem a diversidade cultural, além de esse ser um estímulo para a criatividade, para a redução de conflitos e para melhores resultados ao negócio.

Neste material, a gente apresenta um pouco mais sobre o tema. Continue a leitura e saiba mais!

Por que a diversidade cultural nas empresas é importante?

Segundo um artigo publicado pela Harvard Business Review, a diversidade cultural nas empresas, além de contribuir para aspectos morais, sociais e políticos, contribuem de forma significativa para que as pessoas se tornem mais criativas. Além disso, contam com 14% mais chances de superar a performance de seus concorrentes, de acordo com a McKinsey. Outros pontos de destaque desse levantamento:

  • 93% mais probabilidades de obter um retorno financeiro maior;
  • 152% mais chances de propor novas maneiras para efetuarem suas atividades;
  • 76% de chances de melhorar o atendimento;
  • 66% mais chances de promover a inovação.

Apesar dessa importância, de acordo com o estudo “Diversity Matters”, também elaborado e publicado pela McKinsey, apenas 21% dos profissionais brasileiros consideram que as suas organizações contam com uma diversidade étnico-racial elevada. O estudo foi feito com 3900 pessoas espalhadas em todo o país, além de Chile, Peru, Panamá, Argentina e Colômbia (cujas empresas brasileiras têm sede nesses países).

E não é só por isso que o Brasil ainda precisa avançar quando o tema é diversidade cultural nas empresas. Segundo um outro levantamento, realizado pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial, ainda há recorrência de posturas preconceituosas nas organizações. De 269 pessoas entrevistas, 40% afirmaram que já presenciaram postura de discriminação no trabalho, seja devido à identidade, seja pela expressão de gênero. 30% deles relataram que sofreram discriminação pela etnia.

Como promover a diversidade cultural nas empresas?

Agora que você já sabe o que é a diversidade cultural nas empresas e alguns números importantes sobre o tema no Brasil, chegou o momento de entendermos como é possível promover a diversidade cultural nas empresas. Confira!

1. Faça um censo de sua empresa

O primeiro passo é entender em que nível está a sua empresa no que diz respeito à diversidade cultural. Para isso, elabore um “censo” com todos os profissionais. Entenda qual é a porcentagem de pessoas de etnias diversas, de idades distintas, de orientação sexual, entre outros tipos de diversidade.

Para entender como está a sua empresa em relação à sociedade, o ideal é avaliar o percentual da população de sua cidade. Exemplo: se a população preta for de 40% na sua região, o ideal é que essa seja a porcentagem de profissionais pretas.

2. Faça um processo de recrutamento e seleção mais inclusivo

Para que você amplie a diversidade cultural nas empresas, o ideal é que haja um processo de recrutamento e seleção mais inclusivo. Recentemente, a Magazine Luiza conquistou a admiração de pessoas de todo o país ao abrir um processo trainee voltado apenas para pessoas autodeclaradas pretas ou pardas.

Com o objetivo de promover um processo mais inclusivo, o ideal é que a sua equipe:

  • mude a forma de divulgação, optando por canais mais próximos do público que deseja alcançar;
  • crie um programa de indicação de profissionais (estimulando colaboradores e colaboradoras a indicarem pessoas de diferentes vivências para o time);
  • tenha a diversidade como uma marca para a sua empresa;
  • faça programas de estágios voltados exclusivamente para um nicho de público; entre outros.

3. Tenha atenção quanto à retenção de talentos

Conforme sabemos, há uma diferença entre diversidade e inclusão. Por essa razão, não basta trazer pessoas de diferentes narrativas, é preciso traçar estratégias que retenham esses talentos.

Uma boa prática, nesse sentido, é aplicar pesquisas em diferentes áreas. Entenda qual é a percepção de profissionais em relação à diversidade cultural, como as pessoas de cada time considerem que a diversidade é trabalhada em sua área, entre outros tópicos importantes.

Esse último ponto, inclusive, é essencial para entender as distinções existentes entre cada setor. Afinal, existe a possibilidade de uma área em específico ser bastante diversa, enquanto outra ter como predominância de pessoas brancas e heterossexuais.

Isso só será possível saber por meio do censo sugerido, além de aplicar pesquisas de forma contínua para analisar o quadro de colaboradores como um todo.

4. Faça uma pesquisa de clima organizacional

Além da pesquisa de diversidade, você também tem a oportunidade de realizar a pesquisa de clima organizacional, uma vez que vai medir a percepção de colaboradores e colaboradoras em relação aos processos, políticas e práticas de um negócio.

O resultado dessa pesquisa trará importantes insights para que a gestão entenda em quais pontos precisa trabalhar e trace estratégias para:

  • melhorar o clima organizacional como um todo;
  • trazer resultados mais significativos.

Ao final das ações propostas, entenda se esses dois objetivos foram alcançados e como isso impactou na retenção de talentos.

5. Forneça treinamentos de diversidade cultural

Outra estratégia que estimula que as pessoas de um time conheçam diferentes narrativas é por meio dos treinamentos. Exemplo: uma mulher em cargo de liderança pode relatar para os demais colegas quais foram os desafios enfrentados ao longo da carreira, quais são as mulheres que a inspiraram ao longo da jornada, entre outros tópicos.

Da mesma forma um profissional LGBT ou uma profissional preta podem trazer as suas percepções, as suas histórias e relatarem casos em que o preconceito está implícito.

6. Promova a diversidade em todos os níveis

Por fim, é essencial que a diversidade cultural nas empresas seja promovida em todos os níveis. Desde cargos de estagiário até às lideranças, existe a necessidade de que sejam compostos por pessoas de diferentes narrativas, uma vez que isso vai contribuir de forma significativa para trazer os resultados e os benefícios que as empresas diversas usufruem.

Em seu Ted Talk, Janet Stovall compartilha um plano de ação de três partes, de modo que as lideranças e gestões possam criar locais de trabalho onde as pessoas se sintam seguras e sejam livres para demonstrarem um “eu” autêntico, e não representado.

Neste conteúdo, você pôde entender sobre a importância da diversidade cultural nas empresas, como promover e como isso impacta de forma positiva o dia a dia das organizações. Como observado, ter um planejamento que englobe distintas áreas da empresa será essencial para a contratação e desenvolvimento de pessoas diversas, além de estimular a criatividade e a inovação do negócio.

Conforme mencionamos, as pesquisas possibilitarão um entendimento sobre a realidade atual de seu negócio. Para saber um pouco mais sobre o assunto, continue no blog e boa leitura!