Qulture.Rocks se junta ao UOL EdTech. Saiba mais

Análise de dados no RH: entenda sobre o tema!

Renan Araújo

dados no rh

Mais ciência e menos achismos. Se você acompanha o nosso blog há mais tempo, frequentemente já se deparou com essa frase quando nos referimos à análise de dados no RH. O setor, que até pouco tempo atrás era voltado majoritariamente para aspectos mais burocráticos, tem se tornado cada vez mais estratégico — com o apoio dos dados para facilitar as tomadas de decisão.

Principalmente em períodos mais desafiadores, os dados no RH têm a oportunidade de identificar quais são os setores que merecem mais atenção, como é o comportamento de liderados e lideradas frente às mais diversas vertentes, entre outros pontos de melhoria para a gestão como um todo.

Pensando nisso, elaboramos este material para que você entenda quais são os tipos de análises que podem ser feitas, além de conferir a importância que isso traz para a sua empresa. Continue a leitura e saiba mais!

Navegue pelo conteúdo:

Uso dos dados no RH

Tipos de análise dos dados no RH

Diferenciais da análise dos dados no RH

Como é o processo da análise de dados no RH

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Uso dos dados no RH

Como abordamos, a área do RH, até pouco tempo atrás, era muito mais voltada para aspectos burocráticos. Contratações, demissões, processo seletivo, remuneração, entre outros. A empresa, como um todo, lembrava-se do setor especificamente quando havia o interesse em solicitar férias ou quando recebia o pagamento no prazo estabelecido pelo negócio.

Porém, com o passar do tempo, a gestão de pessoas e a importância do capital humano para as organizações ganharam debates mais precisos dentro dos negócios. Nesse sentido, o RH, além de todos os pontos mencionados, também ganhou um papel mais estratégico — para complementá-lo, o uso dos dados exerce um importante papel para as tomadas de decisão.

Não à toa, de acordo com um estudo realizado pelo InfoJobs, empresa de tecnologia para recrutamento, ressaltou que 61% das pessoas da área de Recursos Humanos já tomam decisões com base em dados. Desse levantamento, 95,5% dos(as) entrevistados(as) consideram importante ou muito importante o uso de dados para que haja melhorias nos processos e crie boas experiências ao quadro de profissionais.

Segundo essa mesma pesquisa, 48,1% das empresas já utilizam a tecnologia para analisar indicadores dos Recursos Humanos. Diversos tópicos podem ser analisados com o uso de dados, mas os mais avaliados são:

  • aderências às contratações — 27,8%;
  • taxa de turnover — 15,2%;
  • SLA das vagas — 13,6%.

Tipos de análise de dados no RH

Existem diferentes tipos de análise de dados no RH que podem ser aplicadas. A seguir, selecionamos algumas das principais:

  • Análise Descritiva — na Análise Descritiva, a pergunta-chave a ser feita pela área é “o que aconteceu?”. Para chegar a um resultado, existe a necessidade de se basear em dados atuais e passados;
  • Análise de Diagnóstico — nesse tipo de análise, a pergunta é “por que isso acontece?”. Exemplo: se, em determinado período, houve uma alta saída de pessoas colaboradoras de determinada área, existe a necessidade de entender o motivo para aplicar um plano de ação. Assim, há a oportunidade de explorar causas e identificar componentes (que levam ao sucesso ou ao insucesso de diferentes situações);
  • Análise Preditiva — na Análise Preditiva, o que deve ser perguntado é “o que pode acontecer?”. Se a empresa for passar por uma fusão, por exemplo, é importante entender qual é o impacto em relação às pessoas colaboradoras e como a cultura pode ser afetada (exemplo de aplicação da análise preditiva);
  • Análise Prescritiva — a pergunta-chave nesse contexto é “o que pode acontecer se seguirmos esse caminho?”. Por meio dos dados, há a oportunidade de levantar hipóteses em relação a diferentes decisões.

Diferenciais da análise de dados no RH

Depois de conferirmos todas essas informações, quais são os principais benefícios da análise de dados no RH? A seguir, selecionamos alguns dos principais tópicos. Veja!

Otimização de processos

Quando há análise de dados no RH, informações podem ser cruzadas, trazendo insights para a empresa otimizar processos e proporcionar um melhor bem-estar para as pessoas colaboradoras.

Exemplo: suponhamos que, novamente, a baixa retenção de talentos é um problema para a empresa. Se você utilizar de achismos para identificar as causas, certamente pode levar a diferentes tópicos que nem sempre são os mais certos.

Do contrário, quando se aplica uma pesquisa de clima, há a oportunidade de identificar a percepção de colaboradores e colaboradoras em relação às políticas, práticas e processos do negócio em relação aos mais diversos temas. Por meio desse diagnóstico, informações sobre lideranças, remuneração, diversidade, bem-estar, trabalho remoto, entre outros, são obtidas por parte dos Recursos Humanos.

A partir disso, um plano de ação pode ser elaborado para impactar os pontos de preocupação. Novamente, retornamos à frase que abriu este artigo: “mais ciência, menos achismos”.

Redução de custos

A análise de dados no RH proporciona a redução de custos pelos mais diversos motivos. Primeiro porque naturalmente há a possibilidade de ter uma avaliação mais precisa de onde é investido o budget da área. Depois, porque há a oportunidade de reduzir as taxas de turnover. Sabemos que desligar e contratar pessoas geram custos para uma organização:

  • com processo seletivo;
  • com treinamento da pessoa contratada;
  • com o tempo gasto das pessoas mais antigas para ajudar na integração da nova pessoa;
  • com o tempo de rampagem gasto pelo(a) novo(a) colaborador(a), entre outros.

Se você reduz o turnover, consequentemente conta com melhorias em todos esses tópicos, além de a otimização dos processos contribuir para um melhor aproveitamento do tempo de toda a equipe.

Mais qualidade e produtividade para a equipe

Todo esse processo contribui para que haja mais qualidade do trabalho executado e, consequentemente, mais produtividade da equipe. Dessa forma, há uma melhor execução dos projetos e entregáveis, independentemente de quais sejam os objetivos da equipe.

Como é o processo de análise de dados na área de RH?

O processo de análise de dados no RH traz algumas etapas principais. A seguir, explicamos de forma breve quais são elas:

  • coleta — a partir da coleta de dados, profissionais de uma equipe vão identificar quais são os números para a análise: e que podem vir de diferentes fontes (quantidade de pessoas interessadas em uma vaga, pesquisa de engajamento, ferramenta de gestão de desempenho etc.);
  • cálculo — por meio da coleta, a equipe terá acesso apenas ao diagnóstico. Em seguida, existe a necessidade de analisar essa coleta para que as ações sejam feitas com base na avaliação realizada;
  • análise — a análise aprofundada dos dados no RH trará respostas para o cálculo feito. Assim, há a oportunidade de descobrir lacunas que devem sofrer modificações;
  • modelagem — na modelagem, um cruzamento de dados é feito. Em uma avaliação de desempenho, por exemplo, é possível identificar quem são os high performers da empresa. A partir da pesquisa de clima, você pode identificar como as áreas que melhor performam estão se sentindo em relação às políticas, práticas e processos.

Neste conteúdo, você pôde identificar a importância da análise de dados no RH, além de conferir como é possível elaborá-la de forma mais efetiva. Como vimos, essa etapa é essencial para que o setor se torne mais estratégico e consiga identificar gargalos relacionados ao capital humano, bem como identificar os motivos que determinadas estratégias deem tanto sucesso em seu negócio.

Ao longo do material, mencionamos de forma breve alguns conceitos relacionados ao People Analytics. Se você deseja conferir um texto completo sobre o tema, continue no blog e acompanhe um outro conteúdo que produzimos sobre o tema!