fbpx

Flexibilidade no trabalho: entenda os diferenciais e saiba como adotar

Renan Araújo

flexibilidade-no-trabalho

Flexibilidade no trabalho ocorre quando a equipe oferece mais autonomia e liberdade para o seu time, seja relacionada ao horário de trabalho, seja relacionada às suas funções — e também engloba outros contextos, que explicaremos mais adiante. Essa estratégia contribui para o engajamento de todo o time, além de ser um fator importante para a retenção de talentos e para a redução do absenteísmo.

Para que ela seja implementada na empresa, existe a necessidade de as lideranças, Recursos Humanos e Departamento Pessoal trabalharem em conjunto, de modo que as demandas da organização mantenham a qualidade e os ganhos da flexibilidade sejam usufruídos pela empresa.

Neste material, explicamos um pouco mais sobre o tema, além de ressaltar como uma plataforma de gestão de desempenho contribui para um ambiente de trabalho mais flexível. Continue a leitura e saiba mais!

O que é flexibilidade no trabalho?

Do campo de vista semântico, flexibilidade é “qualidade do que é flexível, maleável”. Na esfera organizacional, não é muito diferente. Trata-se de um modelo de gestão que elimina a rigidez nos processos e garante mais autonomia às pessoas de um time.

Para que isso ocorra, a cultura organizacional da empresa precisa ser baseada na confiança. Além disso, está relacionada à “horizontalização” da hierarquia da empresa. Isto é, a relação entre lideranças, liderados e lideradas é mais fluida, além de as pessoas do time serem mais envolvidas nos processos de tomada de decisão.

Quais os diferenciais de oferecer flexibilidade no trabalho?

De acordo com um estudo conduzido pela Gallup, nos Estados Unidos, profissionais mudariam de emprego para ter acesso a:

  • seguro saúde — 61%;
  • bônus monetário — 54%;
  • férias pagas — 53%;
  • horário flexível — 51%.

Nesse sentido, podemos destacar que oferecer flexibilidade se torna um diferencial competitivo, principalmente se comparamos com a atração de talentos de um time.

E essa é uma tendência que vem se tornando cada vez mais presente. Em um outro estudo divulgado pela Gallup em 2017, cerca de 43% dos americanos já passavam algum tempo trabalhando remotamente. Naquele período, pessoas que trabalhavam em home office em tempo integral já representavam 5,2% da força de trabalho.

Segundo um outro levantamento realizado por uma agência de viagem chinesa, trabalhar de casa contribuiu para um aumento médio de produtividade de seu time de 13%.

A seguir, selecionamos alguns dos principais diferenciais da flexibilidade no trabalho, de acordo com um estudo feito pela universidade de Harvard. No ano de 2012, a U.S. Patent & Trade Office (USPTO) iniciou um programa que permitiam seus profissionais trabalharem de qualquer lugar. A universidade, então, analisou os dados desse levantamento e chegou aos seguintes resultados.

Aumento de produtividade

Aumentar a produtividade do time sem que isso afete a qualidade dos serviços oferecidos é um dos desafios de grande parte das empresas. Depois que a transição para o trabalho remoto foi realizada, houve um aumento de 4,4% nesse quesito, além de redução significativa de retrabalho.

Apesar de parecer um número razoavelmente baixo, basta fazer comparativos tomando como base o crescimento de seu negócio. Um aumento de 4,4% mensal nos resultados da organização contribui de forma significativa para os números da empresa.

Aumento do poder aquisitivo de profissionais

Especialmente para empresas cujas sedes estão localizadas em grandes centros urbanos, o custo de vida para os profissionais é elevado. Transporte, aluguel, entre outros gastos comuns do dia a dia podem impedir que as pessoas realizem projetos pessoais, por exemplo.

Em São Paulo, principal metrópole do país, o valor do aluguel de 50 metros quadrados varia entre R$ 646 e R$ 2.430. Isso sem falar dos valores de condomínio, IPTU, entre outros gastos. Nesse sentido, ao oferecer flexibilidade no trabalho, a equipe constatou também aumento do poder aquisitivo, uma vez que as pessoas poderiam residir em qualquer lugar do país ou do mundo.

Aprendizado informal

De acordo com o levantamento da universidade de Harvard, mesmo com o trabalho remoto, profissionais trocavam experiências e dúvidas com mais frequência, o que contribuiria para o aprendizado informal entre colegas.

Hoje, esse processo é ainda mais simplificado, uma vez que existem ferramentas de comunicação que possibilitam calls e trocas de mensagens instantâneas entre os times.

Quais são os outros diferenciais de apostar na flexibilidade no trabalho?

A seguir, apresentamos outros diferenciais de apostar na flexibilidade no trabalho.

Uso estratégico da infraestrutura da empresa

A infraestrutura da empresa pode ser utilizada de forma mais estratégica. O espaço físico, por exemplo, tem a oportunidade de ser destinado apenas para reuniões específicas, principalmente quando envolve grandes clientes.

Maior satisfação para os profissionais

Flexibilidade no trabalho contribui para trazer um maior equilíbrio entre vida pessoal e vida profissional. Consequentemente, vai haver maior satisfação por parte das pessoas de um time. Segundo um outro levantamento realizado pela Gallup, no Brasil, apenas 27% dos colaboradores são ativamente engajados — o que exige das lideranças e dos Recursos Humanos buscar por estratégias que tragam melhorias para esse quadro.

Melhoria do clima organizacional

Clima organizacional é a percepção dos colaboradores da empresa em relação às políticas, práticas e processos do negócio. Quando implementar flexibilidade no trabalho, o ideal é que entenda quais são as necessidades dos profissionais e o que eles consideram pontos de melhoria em relação aos processos atuais — contribuindo para resultados ainda mais atrativos

Flexibilidade de trabalho em relação ao horário: quais são os principais tipos?

Quando a flexibilidade do trabalho está relacionada especificamente ao horário que seus profissionais realizam as demandas, existem três tipos principais:

  • fixo variável — nesse caso, a empresa estabelece previamente alguns horários, que podem ser escolhidos de forma livre pelo profissional. Exemplo: entre 8h e 17h, entre 9h e 18h ou entre 7h e 16h;
  • variável — aqui, o colaborador tem a liberdade para escolher o horário de entrada, desde que as horas previamente combinadas sejam cumpridas de forma rígida. Exemplo: em um trabalho de 8h diárias, ao entrar 9h31 é preciso que saia às 18h31:
  • livre — nesse último caso, não há nenhuma exigência de entrada e saída por parte do colaborador.

O horário livre também pode ser denominado como horário assíncrono. Nesse caso, é preciso que haja uma maturidade maior para as empresas ao adotá-lo, uma vez que a pessoa pode realizar as suas atividades independentemente de ser período comercial ou não.

Principalmente em um contexto de trabalho remoto, o ideal é que o negócio comece o home office por meio do horário síncrono. Depois que houver a adaptação, já é recomendado que iniciem os testes assíncronos.

Quais são os outros principais tipos de flexibilidade no trabalho?

A seguir, selecionamos alguns outros exemplos de flexibilidade no trabalho que podem ser adotados pela empresa. Confira!

Cultura de feedback

Feedback é o processo no qual uma pessoa contribui para que a outra possa se desenvolver a partir de suas próprias percepções, negativas ou positivas. Quando lideranças, liderados e lideradas trocam feedbacks, há uma possibilidade maior de que os objetivos pré-estabelecidos sejam alcançados com mais facilidades, reduzindo os gaps entre execução e planejamento.

Home office

Em 2020, empresas dos mais variados nichos de atuação precisaram se adaptar ao home office como forma de conter o avanço da pandemia da Covid-19. Para aquelas que já ofereciam essa flexibilidade, a adaptação foi mais fácil do que para quem estava, pela primeira vez, vivenciando essa experiência.

Depois de um ano, grande parte das organizações ainda estão nessa realidade. De acordo com uma pesquisa feita pela Workana e divulgado pelo G1, 84,2% das lideranças entrevistadas afirmaram que pretendem continuar operando remotamente. Porém, a flexibilidade de horários para assegurar equilíbrio entre vida profissional e pessoa é um desafio para 28,6% das pessoas entrevistadas.

Nesse sentido, devemos levar em consideração que o trabalho remoto é uma boa opção de flexibilidade, mas que deve haver um apoio próximo de lideranças e um cuidado para que profissionais não trabalhem mais do que a carga horária prevista.

Delegação de tarefas com base no perfil da pessoa

Por fim, também pode ser considerada flexibilidade no trabalho delegação de tarefas com base principalmente no perfil da pessoa. Dessa forma, lideranças entendem a expertise do profissional e oferecem autonomia para que as tarefas sejam executadas conforme considerar mais simples.

Como uma plataforma de gestão de desempenho contribui para a flexibilidade no trabalho?

Por meio de uma plataforma de gestão de desempenho, além de as pessoas terem a oportunidade de ofertarem feedback aos seus pares, líderes, liderados e lideradas frequentemente, traz como alguns diferenciais:

  • Gestão de metas e OKRs — por meio da ferramenta, todo o time tem a possibilidade de conferir quais são as suas metas, como elas se alinham para as metas globais da organização e quais são as tarefas das quais é responsável para alcançar esse objetivo.
  • Gerenciamento de one-on-ones — one-on-ones são reuniões periódicas entre líderes, liderados e lideradas que possibilitam melhorias no fluxo de informações (de baixo para cima). Na ferramenta, há um melhor gerenciamento desses encontros, onde lideranças conferem pautas elaborados pelos profissionais, além de ser um espaço para anotações sobre o que deve ser feito a partir dali.
  • Definição de prioridades — semanalmente, liderados e lideradas definem suas prioridades, que são encaminhadas para as lideranças. Assim, há um maior alinhamento entre o que deve ser feito com os objetivos da organização.
  • Pesquisa de Clima Organizacional — por meio das pesquisas, a equipe tem a oportunidade de entender quais são as necessidades da empresa como um todo, além de fazer recortes por times (e entender o quanto eles estão satisfeitos com as políticas adotadas até então).

Neste conteúdo, você pôde entender o que é flexibilidade no trabalho, qual é a importância de adotá-la, além de conferir dicas sobre como implementá-la. Para que consiga sucesso com a ação, o ideal é que tenha um bom planejamento, além de entender os pontos fortes e fracos das estratégias para trazer melhorias contínuas às atividades.

Se você teve interesse em conhecer um pouco mais sobre a plataforma de gestão de desempenho, entre em contato com a gente, converse com nosso time e saiba como podemos ajudar!